23:11 18 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Vladimir Putin e Emmanuel Macron se reúnem em Paris, 29 de maio, 2017

    Macron diz que Europa deve ter influência nos Bálcãs para deter a Rússia

    © REUTERS / Stephane De Sakutin/Pool
    Europa
    URL curta
    236

    A União Europeia deve promover ainda mais sua influência nos países dos Bálcãs ocidentais, caso contrário, os estados regionais se voltariam para a Rússia ou a Turquia, disse o presidente da França, Emmanuel Macron, nesta quinta-feira (17).

    "Dada a história da região, dadas as pressões existentes, estes países [dos Bálcãs Ocidentais] poderiam recorrer à Rússia ou à Turquia e isso seria uma solução errada tanto para a região como para a Europa. É por isso que precisamos continuar trabalhando sobre a nossa soberania, mantendo os Bálcãs Ocidentais dentro da União Europeia", disse Macron sobre os resultados da Cúpula entre União Europeia e Bálcãs Ocidentais, que teve lugar em Sofia, na Bulgária.

    A União Europeia não poderia aumentar sua influência na região dos Bálcãs a menos que haja "coerência ou unidade" dentro do bloco, observou o presidente francês.

    Presidente francês, Emmanuel Macron, apertando a mão ao homólogo russo, Vladimir Putin, no Palácio de Versalhes (foto de arquivo)
    © REUTERS / Philippe Wojazer
    A região dos Bálcãs Ocidentais inclui a Sérvia, Montenegro, Croácia,  Bósnia e Herzegovina, Macedônia, e também a autoproclamada República do Kosovo.

    Em fevereiro, a Comissão Europeia divulgou sua estratégia para os países dos Bálcãs ocidentais, sob o título "Perspectiva crível do aumento e reforço do envolvimento da UE com os Bálcãs Ocidentais". A nova estratégia prevê a possibilidade de adesão à UE a alguns candidatos até 2025.

    Dos países dos Bálcãs, a Albânia, a Macedônia, a Sérvia e o Montenegro são candidatos à adesão à UE. As negociações já estão em curso com a Sérvia, desde 2014, e Montenegro, desde 2012. A Bósnia e Herzegovina aguarda o status de candidato desde fevereiro de 2016.

    Mais:

    Trump diz a Macron que quer acordo 'amplo' sobre o Irã
    Posição de Macron sobre Trump é vista com desconfiança pelos franceses
    Trump informa a Macron que EUA vão abandonar acordo nuclear com Irã
    Esposa 'deliciosa': erro de Macron diverte redes sociais
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik