13:11 14 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Billionaire financier George Soros

    Adeus, 'satanás': fundação de George Soros encerra operações na Hungria

    © AP Photo / Kin Cheung
    Europa
    URL curta
    8240

    A organização Open Society Foundations de George Soros está encerrando suas operações na Hungria, acusando Budapeste de reprimir a sociedade civil. O primeiro-ministro húngaro Viktor Orban repetidamente criticou o magnata por se intrometer nos assuntos internos do país.

    "Diante de um ambiente político e legal cada vez mais repressivo na Hungria, a Open Society Foundations está transferindo suas operações e equipes internacionais sediadas em Budapeste para a capital alemã, Berlim", confirmou o grupo nesta terça-feira.

    Patrick Gaspard, presidente da Open Society Foundations, atacou o governo húngaro, dizendo que "denegriu e deturpou nosso trabalho", enquanto reprimia a sociedade civil "por causa de ganhos políticos".

    O grupo baseou sua decisão no fato de que Budapeste "se prepara para impor mais restrições a organizações não-governamentais através do que rotulou como o pacote de legislação 'Pare Soros'".

    Orban se manifestou repetidamente contra as agendas prejudiciais da fundação de Soros e outras ONGs, acusando o bilionário de interferir nos assuntos políticos internos da Hungria, financiando grupos de oposição.

    Falando sobre as recentes eleições e a vitória de seu partido Fidesz, Orban disse: "Eu sei que eles não vão aceitar o resultado da eleição, eles vão organizar todo tipo de coisas, eles têm recursos financeiros ilimitados".

    Quando a notícia da possível saída da Open Society Foundations da Hungria se rompeu em abril, Orban disse: "Você pode entender se eu não chorar".

    Em fevereiro, o Fidesz submeteu um projeto de lei ao parlamento chamado "Lei Pare Soros" — em referência ao magnata húngaro-americano — que restringiria a imigração e também afetaria as ONGs financiadas por estrangeiros. O projeto de lei diz que todas as ONGs que "apoiam a imigração ilegal" precisam ser registradas, enquanto qualquer ONG que recebe dinheiro do exterior deve pagar um imposto de 25%.

    Além disso, os cidadãos estrangeiros e os cidadãos húngaros que apoiam a imigração ilegal podem estar sujeitos a uma ordem de restrição que os manterá afastados da fronteira.

    "Se Soros for encontrado e estiver envolvido em tal atividade, o que significa que ele organiza a imigração ilegal, então as regras serão aplicadas a ele", disse o porta-voz do governo, Zoltan Kovacs, em fevereiro.

    O magnata de 87 anos trabalhou como negociador e analista antes de fundar a Soros Fund Management em 1969. Tornou-se um dos principais investidores do mundo, gerando uma enorme riqueza para si mesmo.

    O projeto Open Society Foundations foi iniciado em 1979, com a primeira fundação fora dos EUA na Hungria em 1984. O grupo atualmente tem gastos anuais de mais de US$ 940 milhões, opera em mais de 100 países em todo o mundo, com 26 fundações nacionais e regionais e escritórios.

    O bilionário já foi comparado ao diabo por seus chamados para levar imigrantes para a Europa, o que foi percebido por alguns deputados húngaros como uma tentativa de destruir a independência e os valores dos Estados-nação. O parlamentar húngaro Andras Aradszki, do Partido do Povo Democrata Cristão (KDNP), disse que é um dever cristão lutar contra o que ele chamou de "plano satânico de Soros".

    O magnata também enfrentou acusações de interferência na política britânica depois que surgiram notícias de que ele doou quase meio milhão de libras para uma campanha que buscava reverter o Brexit.

    Orban, um crítico severo da imigração ilegal e das cotas obrigatórias de imigração de Bruxelas, declarou certa vez que a recente onda de refugiados que entram na Europa é uma invasão.

    Em dezembro de 2017, a Hungria, juntamente com a Polônia e a República Tcheca, disse que se reserva o "direito" de rejeitar as cotas de refugiados impostas pela União Europeia (UE), apesar da pressão da Comissão Europeia. Os três países argumentaram na época que os refugiados poderiam representar uma ameaça direta à segurança pública.

    Mais:

    Bilionários apostam em bitcoin: Rockefellers e Soros fazem crescer preços da criptomoeda
    Como George Soros influencia situação política na Europa Central?
    Benjamin Netanyahu é novo alvo da campanha anti-israelense de Soros?
    Tags:
    interferência estrangeira, imigração, política, União Europeia, Fidesz, Open Society Foundations, Andras Aradszki, Zoltan Kovacs, Patrick Gaspard, Viktor Orban, George Soros, Estados Unidos, Europa, Hungria
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik