23:14 17 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Jean-Yves Le Drian, ministro das Relações Exteriores da França

    França diz que acordo com Irã 'não morreu' e decisão de Trump aumenta risco de guerra

    © Sputnik / Kirill Kallinikov
    Europa
    URL curta
    EUA se retiram do acordo nuclear com Irã (32)
    9100

    Embora os Estados Unidos tenham quebrado um "compromisso internacional" e a França lamentasse a decisão, o acordo nuclear histórico com o Irã ainda não está "morto", segundo o ministro de Relações Exteriores da França, Jean-Yves Le Drian.

    "O acordo não está morto. Há uma retirada americana do acordo, mas o acordo ainda está lá", disse Jean-Yves Le Drian à rádio RTL na quarta-feira, falando horas após o presidente dos EUA, Donald Trump, se recusar a recertificar o acordo de 2015 com Teerã.

    O documento, assinado durante o governo de Barack Obama, restringiu o programa nuclear do Irã em troca do levantamento de sanções.

    Paris "lamenta profundamente" o movimento de seus aliados ocidentais, que Le Drian chamou de "uma ruptura com o compromisso internacional", acrescentando que a situação no Oriente Médio pode ser comprometida, já que a decisão de Washington traz "um risco real de confronto".

    O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, também condenou a decisão de Trump de oferecer "nenhuma alternativa" ao acordo de "trabalho", segundo a Agência Reuters.

    A França foi um dos signatários do acordo negociado com o Irã, intermediado pelas potências do P5 + 1 (China, França, Rússia, Reino Unido, EUA e Alemanha) em 2015.

    Os outros signatários europeus não apoiaram a retirada dos EUA, com os líderes do Reino Unido, França e Alemanha expressando "arrependimento e preocupação" e pedindo moderação. Eles também afirmaram que continuarão aderindo ao acordo e conclamaram Washington a "garantir que as estruturas do JCPOA possam permanecer intactas".

    O compromisso das outras partes com o JCPOA pode permitir que Teerã permaneça no acordo, de acordo com o presidente iraniano Hassan Rouhani, que acusou Trump de travar "uma guerra psicológica" que o Irã não permitirá que ele ganhe.

    Tema:
    EUA se retiram do acordo nuclear com Irã (32)

    Mais:

    UE falha ao tomar decisão independente dos EUA, diz chefe da Guarda Revolucionária do Irã
    Saída dos EUA do acordo nuclear com Irã pode causar crise nuclear, alerta especialista
    Inteligência dos EUA suspeita que Irã esteja prestes a atacar Israel
    Tags:
    guerra, diplomacia, acordo nuclear, JCPOA, Hassan Rouhani, Barack Obama, Donald Trump, Heiko Maas, Emmanuel Macron, Jean-Yves Le Drian, Alemanha, Irã, Estados Unidos, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik