21:49 21 Maio 2018
Ouvir Rádio
    O presidente da República Tcheca, Milos Zeman

    Presidente tcheco admite que país produziu substância parecida ao do caso Skripal

    © AP Photo / Sergei Chuzavkov
    Europa
    URL curta
    0 80

    Uma pequena quantidade da toxina A230 (também conhecida como Novichok) foi produzida no Instituto de Pesquisa do Ministério da Defesa da República Tcheca, disse o presidente Milos Zeman nesta quinta-feira, citando relatórios de inteligência.

    "Em novembro de 2017, um agente nervoso, classificado como A230, foi testado no Instituto de Pesquisa do Ministério da Defesa, em Brno. A quantidade de substância tóxica produzida era muito pequena e foi destruída depois", afirmou Zeman em um discurso transmitido pela TV Barrandov.

    A admissão aconteceu depois que o Ministério de Relações Exteriores da Rússia informar que a substância, identificada como A234 e ligada por especialistas do Reino Unido ao grupo Novichok de agentes nervosos usado supostamente para envenenar um ex-espião russo na Inglaterra, poderia ter sido produzida ou armazenada no passado na República Checa.

    Zeman disse em março passado que pediria à contra-inteligência do país para investigar essa afirmação.

    Ao mesmo tempo, o presidente tcheco disse que o Instituto de História Militar da República Tcheca e o Escritório Estadual de Segurança Nuclear identificaram a toxina como diferente da usada em Salisbury.

    "Também recebi um documento da inteligência militar, que dizia claramente que a substância A230 é da classe Novichok. Como a inteligência militar está mais próxima do assunto do que a contra-inteligência civil, cheguei à conclusão de que uma pequena quantidade de Novichok havia sido desenvolvido e testado em nosso país, e depois destruído, sabemos onde e quando", ressaltou.

    O presidente tcheco acrescentou a inteligência militar do país e a inteligência interna, o BIS, discordou sobre qual substância poderia ser classificada como Novichok. A inteligência militar disse que era A230, enquanto o BIS argumentou que era A234.

    Mais:

    Reino Unido supostamente identificou suspeitos de terem envenenado Skripal, diz jornal
    Chancelaria: Skripal teriam sido envenenados pela inteligência britânica
    Líderes latino-americanos comparecerão à Copa de 2018 apesar do caso Skripal
    Tags:
    A230, A234, Novichok, armas químicas, envenenamento, BIS, Milos Zeman, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Reino Unido, Rússia, República Tcheca
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik