16:04 23 Maio 2018
Ouvir Rádio
    Presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko (arquivo)

    Ucrânia segue EUA e expande sanções antirrussas

    © REUTERS / Valentyn Ogirenko
    Europa
    URL curta
    9511

    O governo da Ucrânia decidiu em reunião realizada nesta quarta-feira, 2, estender as sanções impostas contra a Rússia, seguindo o exemplo dos Estados Unidos, conforme anunciou o presidente Pyotr Poroshenko.

    De acordo com o chefe de Estado ucraniano, a medida é motivada tanto pela realização de eleições russas no território da Crimeia, que Kiev não reconhece como parte da Rússia, como pelo recente ataque químico contra um ex-agente duplo russo na Inglaterra, que o Ocidente atribui a Moscou.

    "A decisão de hoje do Conselho Nacional de Segurança e Defesa coordena novas sanções que estão sendo introduzidas com sanções dos EUA contra cidadãos e entidades jurídicas da Federação da Rússia. Elas se relacionam tanto com o uso de armas químicas no centro da Europa como com a eleição presidencial ilegal no território ocupado da Crimeia", afirmou Poroshenko.

    No mês passado, os Estados Unidos anunciaram novas sanções antirrussas, em resposta aos supostos esforços de desestabilização global realizados pelo Kremlin, atingindo autoridades do governo, grandes empresários e companhias privadas e estatais da Rússia. 

    Mais:

    EUA: Para reverter sanções, Coreia do Norte deverá destruir todas suas armas nucleares
    Pesquisa: Quase metade dos russos acredita que as sanções ocidentais permanecerão por anos
    'EUA têm o vício de aplicar sanções, mas esta política criminosa não pode durar sempre'
    Tags:
    sanções, Pyotr Poroshenko, Europa, Inglaterra, EUA, Crimeia, Kiev, Moscou, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik