03:39 20 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Opositor britânico Jeremy Corbyn, líder do Partido Trabalhista

    Antes de atacar a Síria, 'é vital' consultar o Parlamento, diz líder trabalhista britânico

    © REUTERS / Peter Nicholls
    Europa
    URL curta
    662

    O líder do Partido Trabalhista britânico, Jeremy Corbyn, ressaltou nesta quinta-feira (12) a necessidade de realizar debates parlamentares sobre a possível participação de Londres em uma ação militar contra a Síria devido a um suposto ataque de armas químicas ocorrido no fim de semana.

    Na quarta-feira (11), a BBC informou, citando fontes do governo do Reino Unido, que a primeira-ministra britânica Theresa May considera a autorização do envolvimento de Londres em uma ação militar na Síria sem pedir a aprovação do parlamento.

    Nesse mesmo dia, Corbyn supostamente exigiu que fosse realizada uma votação parlamentar sobre o assunto. Espera-se que May realize uma reunião de gabinete sobre a questão no final do dia.

    ​"É vital que o parlamento tenha a chance de debater e decidir antecipadamente sobre quaisquer propostas do governo para apoiar uma nova intervenção militar liderada pelos EUA na Síria, que arrisca uma perigosa escalada do conflito", disse Corbyn no Twitter.

    Acusações sobre o suposto ataque na cidade síria de Douma surgiram no sábado (7). A União Europeia e os Estados Unidos correram para culpar as forças do governo sírio pelo incidente, mas Damasco refutou as acusações. O presidente dos EUA, Donald Trump, o líder francês Emmanuel Macron e Theresa May concordaram na terça-feira (10) que a comunidade internacional precisa responder ao suposto ataque com armas químicas.

    Moscou pediu uma investigação completa sobre o suposto ataque antes que qualquer conclusão seja feita.

    No Reino Unido, a decisão de utilizar as forças armadas em situações de conflito armado ou em caso de declaração de guerra é autorizada pelo primeiro-ministro, em nome da Coroa, sem a obrigação de aprovação parlamentar.

    Mais:

    Ameaças ocidentais só aumentam a instabilidade na Síria, diz Assad
    Novo secretário de Estado dos EUA quer 'resposta dura' contra a Síria
    Mattis: Trump não precisa de autorização do Congresso para atacar Síria
    Saiba como a Rússia pode repelir um ataque dos EUA contra a Síria (FOTOS)
    Ataque contra Síria é uma questão de tempo, mas EUA avisarão Rússia, opina analista
    Tags:
    Guerra da Síria, Theresa May, Jeremy Corbyn, Douma, Rússia, Síria, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik