12:49 21 Agosto 2018
Ouvir Rádio
    Costa do mar Báltico na cidade russa de Svetlogorsk

    Armas químicas nazistas se espalham pelo mar Báltico e provocam pânico

    © Sputnik / Vladimir Fedorenko
    Europa
    URL curta
    0 34

    Algumas décadas após toneladas de armas químicas nazistas, incluindo gás mostarda e bombas de arsênio, terem sido despejadas no mar, as embalagens se corroeram e as substâncias tóxicas vazaram livremente, intoxicando peixes e vários organismos marinhos.

    As armas químicas despejadas no mar Báltico após a 2ª Guerra Mundial, cada vez mais representam problemas. Retirar todas as substâncias é impossível por razões práticas e econômicas. Cientistas predizem que o mar nunca estará completamente limpo das armas despejadas, segundo informou o jornal finlandês Hufvudstadsbladet.

    Com a derrota das potências do Eixo, os aliados encontraram 300 mil toneladas métricas de armas químicas na Alemanha em áreas ocupadas pelos nazistas. Para resolver o problema o mais rápido possível, uma grande porção destas foi despejada no mar, principalmente no mar Báltico e no mar do Norte.

    Passados 70 anos, as substâncias começaram a se espalhar, intoxicando peixe e outros animais marinhos.

    No momento, as toxinas afetam apenas os peixes, pois seus níveis ainda são muito baixos para representar uma ameaça significativa para os seres humanos. "No entando, isso pode mudar e você entende como isso pode interferir na cadeia alimentar", advertiu o especialista finlandês em química, Martin Soderstrom.

    Agora, cientistas estão trabalhando em um mecanismo para determinar as áreas do mar Báltico que devem ser tratadas e limpas das toxinas.

    O processo de eliminação das armas químicas é bastante complicado, exigindo instalações especiais, que existem apenas na Alemanha e Bélgica. Porém, devido às fortes restrições quanto ao transporte de armas químicas, é muito provável que as instalações de eliminação de resíduos móveis sejam transferidas mais perto das áreas portuárias.

    Segundo especialistas, este processo é extremamente caro, e nenhum país pode se encarregar sozinho das despesas. Uma das possíveis opções é criar um fundo conjunto onde países podem pedir ajuda na eliminação de armas químicas.

    Mais:

    'Me desculpe': empresa norueguesa admite desastre ambiental no Pará
    Cientista adverte: colapso da civilização nas próximas décadas é inevitável
    Tags:
    perigo, vazamento, armas químicas, poluição, Bélgica, Alemanha, Finlândia, mar do Norte, mar Báltico
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik