01:53 22 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Primeira ministra britânica, Theresa May (centro), passa em frente da chanceler alemã, Angela Merkel (direita), e de Emmanuel Macron (esquerda), presidente da França.

    Skripal: Alemanha e França pedem provas e rejeitam sanções do Reino Unido sobre a Rússia

    © AP Photo / Eric Vidal
    Europa
    URL curta
    32413

    Durante reunião dos ministros das Relações Exteriores da União Europeia (UE), Alemanha e França rejeitaram a proposta britânica de impor sanções contra a Rússia após as alegações de que Moscou foi responsável pelo ataque ao ex-espião russo Sergei Skripal, afirmou uma fonte da diplomacia europeia à Sputnik nesta quarta-feira (21).

    Na segunda-feira (19), os 28 ministros de Relações Exteriores da UE reuniram-se em Bruxelas para discutir uma série de questões internacionais importantes, assim como o envenenamento de Sergei Skripal em Salisbury. 

    Logo após a reunião, o Conselho das Relações Exteriores da UE emitiu uma declaração dizendo que "leva muito a sério" a posição do Reino Unido sobre o envolvimento da Rússia no incidente de envenenamento.

    "O ministro das Relações Exteriores alemão foi o primeiro a falar contra as sanções, então o ministro francês disse o mesmo, 'forneçam provas, evidências concretas, e nós iremos apoiar quando as vermos'. O ministro das Relações Exteriores da Grécia, Nikos Kotzias, também disse que é necessário oferecer provas relevantes antes de acusar a Rússia. Como podemos impor sanções sem qualquer tipo de informação?", afirmou a fonte à Sputnik.

    A fonte também disse que a Alemanha e a França, e não a Grécia, como alguns meios de comunicação alegaram, foram os primeiros a falar. Como o procedimento padrão exige, se um país quiser que outros votem e apoiem as sanções, este deve fornecer provas, disseram os ministros, conforme citados pela fonte.

    A proposta de sanções originalmente apresentada pelo Reino Unido era "absolutamente radical", e o segundo projeto também era acusatório e drástico, com apenas o texto final sendo mais ameno, ainda segundo a fonte.

    Skripal e sua filha estão no hospital em condição crítica desde 4 de março, sendo tratados por exposição ao que os especialistas do Reino Unido dizem ser agente nervoso A234. O Reino Unido afirmou que a substância era um agente nervoso desenvolvido na União Soviética.

    A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, acusou a Rússia de orquestrar um ataque ao ex-oficial de inteligência e expulsou 23 diplomatas russos como forma de retaliação.

    A Rússia nega as acusações e sugeriu ajudar na investigação. No entanto, o pedido de Moscou de amostras da substância química usada para envenenar Skripal foi negado.

    O lado russo também expulsou diplomatas do Reino Unido em resposta e ordenou ao British Council que parasse suas atividades na Rússia.

    Mais:

    MRE russo permite possibilidade de Reino Unido dirigir 'caso Skripal'
    OPAQ levará pelo menos três semanas para analisar substância que envenenou Skripal
    Diplomatas russos expulsos devido a caso Skripal deixam embaixada de Londres
    Gás nervoso no caso Skripal 'poderia ter sido produzido pelos próprios britânicos'
    Tags:
    tensão diplomática, União Europeia, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Theresa May, Emmanuel Macron, Angela Merkel, Rússia, Salisbury, Alemanha, Reino Unido, Grécia, França
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik