05:55 24 Abril 2018
Ouvir Rádio
    Secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, posa para foto com secretário de Relações Exteriores britânico, Boris Johnson, na sede da organização, em Bruxelas, Bélgica.

    Caso Skripal: OTAN declara apoio ao Reino Unido

    © REUTERS / Emmanuel Dunand/Pool
    Europa
    URL curta
    Envenenamento de ex-espião russo (100)
    1339

    A OTAN está preparada para ajudar o Reino Unido a investigar o ataque contra o ex-oficial de inteligência russo Sergei Skripal e sua filha em Salisbury, disse o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, durante uma entrevista coletiva.

    "Aliados da OTAN se ofereceram imediatamente após o ataque para a dar suporte à investigação em curso, se assim solicitado pelo Reino Unido", disse Stoltenberg nesta segunda-feira (19). A declaração foi dada em um comunicado conjunto ao lado do secretário de Relações Exteriores britânico, Boris Johnson. 

    Sergei e Yulia Skripal, foram encontrados inconscientes em Salisbury em 4 de março, após serem supostamente envenenados. 

    O presidente russo, Vladimir Putin, e seu homólogo francês, Emmanuel Macron, antes da visita à exposição “Pedro I. Czar na França. Ano de 1717” no Palácio de Versalhes, em Paris.
    © Sputnik / Aleksey Nikolskyi
    O incidente criou uma crise diplomática que vem crescendo nas últimas semanas. Nesta segunda-feira (19), a Polônia deu indícios que pode expulsar diplomatas russos em solidadariedade ao Reino Unido, enquanto a Suécia convocou o embaixador russo a dar explicações sobre o caso.

    A primeira-ministra britânica Theresa May culpou a Rússia pelo incidente na Rússia, cortando relações bilaterais com o país e expulsando seus diplomatas do país. Segundo suas declarações a substância utilizada no ataque teria sido fabricada na União Soviética.

    A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, chegou a afirmar que a substância poderia ter sido fabricada nos Estados Unidos, Reino Unido, República Tcheca, Suécia e Eslováquia. Essa declaração gerou reações negativas dos dois últimos países, que refutaram a possibilidade. 

    A ministra sueca das Relações Exteriores, Margot Wallstrom, chegou a afirmar, no sábado (17), que a suposição era "inaceitável". 

    A Rússia refuta as acusações, e apesar de oferecer uma investigação mútua, retaliou as ações britânicas, declarando 23 funcionários da embaixada do Reino Unido em Moscou personae non gratae.

    Sergei e Yulia permanecem em estado crítico.

    Tema:
    Envenenamento de ex-espião russo (100)

    Mais:

    Polônia pode expulsar diplomatas russos em solidariedade ao Reino Unido
    Reino Unido vai continuar a emitir vistos a russos mesmo após fechamento de consulado
    Rússia alerta Reino Unido: em caso de mais ações hostis, retaliação virá
    'Fornecedor confiável', Moscou não cortará energia do Reino Unido, diz embaixador
    Tags:
    tensão diplomática, Yulia Skripal, Sergei Skripal, Margot Wallström, Boris Johnson, Maria Zakharova, Theresa May, Eslováquia, República Tcheca, Suécia, Estados Unidos, Rússia, União Soviética, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik