17:34 16 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Tanques da OTAN na Letônia, perto da fronteira com a Rússia

    Pentágono revela como pretende lutar contra 'ameaça russa' na Europa

    © AP Photo/ Mindaugas Kulbis
    Europa
    URL curta
    11317

    A Rússia representa o maior perigo para as forças norte-americanas na Europa, assinalou a edição National Interest, citando Curtis Scaparrotti, comandante da OTAN na Europa.

    De acordo com ele, a Rússia "continua desestabilizando" a segurança regional, bem como "ignorando" as normas do direito internacional, que asseguram a paz na Europa desde o fim da Segunda Guerra mundial. 

    "Priorizamos estrategicamente impedir que a Rússia venha a aplicar uma agressão subsequente, bem como prevenir impacto negativo da Rússia sobre os aliados e parceiros europeus dos EUA", assinalou Scaparrotti.

    O general salientou que os militares norte-americanos estão elaborando várias opções para assegurar a proteção dos países europeus da "agressão russa", inclusive cenários de resistência armada.

    Contudo, Scaparrotti afirmou que as forças militares são insuficientes para lutar contra a "agressão russa". O funcionário de alto escalão opinou que o governo norte-americano precisa executar uma única estratégia para conter a Rússia.

    Enquanto isso, o general frisou que a "ameaça russa" vai além das fronteiras do espaço europeu.

    "A Rússia tem influenciado países do Oriente Médio, onde sua interferência na guerra civil síria reforçou o regime de Bashar Assad e permitiu que o Irã expandisse influência na área de Levante. Além do mais, a Rússia vem prestando assistência ativa aos Estados da região, reforçando a colaboração com o Irã, e expandindo sua influência para a Arábia Saudita, Egito, Líbia e Chipre. Os esforços desde tipo levam à mudança da dinâmica regional, o que por sua vez acaba afetando de forma negativa a segurança de Israel, estabilidade no Líbano, bem como os interesses dos EUA na região", destacou o comandante.

    Ele adicionou também que a Rússia planeja desequilibrar a situação internacional a seu favor.

    Anteriormente, o Congresso dos EUA ordenou que ministérios norte-americanos elaborassem estratégia de resistência à "ameaça russa". Por sua vez, Moscou refutou repetidamente as acusações de ameaçar países ocidentais.

    Mais:

    'Ei, OTAN, cadê você?', pergunta Erdogan
    Ucrânia dá mais um passo para aderir à OTAN
    General da OTAN desmente mito da 'agressão russa' no Báltico
    Tags:
    ameaça, agressão russa, contenção, Pentágono, Curtis Scaparrotti, Europa, EUA, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik