23:42 20 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Milícias da República Popular de Donetsk no território do aeroporto de Donetsk

    Forte explosão atinge Donbass na região da linha de contato

    © Sputnik / Sergei Averin
    Europa
    URL curta
    123

    Autoridades da autoproclamada República Popular de Donetsk (RPD) reportam uma forte explosão que ocorreu na região da linha de contato.

    O incidente ocorreu às 14h50 no horário local (8h50 em Brasília) ao sul do povoado de Maryinka, controlado pelo governo ucraniano, informou um representante da RPD. 

    "Um helicóptero ucraniano foi detectado a uma distância de cerca de 800 metros da linha de contato. Vinte minutos antes da chegada do helicóptero foi registrada uma forte explosão", afirmou o representante, sem dar mais detalhes.

    Desde segunda-feira (5), outra trégua entrou em ação em Donbass. No entanto, no mesmo dia, a RPD acusou os militares ucranianos de violar várias vezes o regime de cessar-fogo.

    Segundo as informações, as Forças Armadas da Ucrânia abriram fogo utilizando armas de grandes calibres contra povoações no sul da região de Donetsk. Além disso, o ataque atingiu o deputado russo, Aleksei Zhuravlev, que foi ao lugar para verificar se as partes cumprem o regime de cessar-fogo.

    Em abril de 2014 as autoridades ucranianas lançaram uma operação militar contra as autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk. Segundo os últimos dados da ONU, mais de 10.000 pessoas já foram vítimas do conflito. A regulação do conflito está sendo discutida, inclusive no âmbito dos encontros do grupo de contato em Minsk, no entanto, as partes continuam denunciando violações do regime de cessar-fogo.

    Mais:

    Representante dos EUA diz que repúblicas de Donetsk e Lugansk têm que ser dissolvidas
    Encontrada base secreta onde estadunidenses treinam militares ucranianos, diz mídia
    Tags:
    linha de contato, explosão, cessar-fogo, trégua, Forças Armadas da Ucrânia, Leste da Ucrânia, Donbass, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik