10:07 24 Junho 2018
Ouvir Rádio
    O presidente da Polônia, Andrzej Duda.

    Polônia exige explicações de Tel-Aviv sobre pichação de suásticas em sua embaixada

    © REUTERS / Kacper Pempel
    Europa
    URL curta
    841

    A Polônia exigiu que Israel esclareça os fatos sobre um incidente com a embaixada polonesa, vandalizada por indivíduos não identificados que desenharam um símbolo da suástica do prédio polonês.

    O pedido de explicações foi divulgado por Artur Lompart, chefe do serviço de imprensa do Ministério das Relações Exteriores da Polônia.

    Neste domingo (18), as tensões entre a Polônia e Israel aumentaram ainda mais depois que suásticas e insultos foram pichados por vândalos não idetificados no portão da embaixada polonesa, em Tel Aviv. 

    O incidente ocorreu um dia depois que o primeiro-ministro polonês, Mateusz Morawiecki, disse que o povo judeu era "perpetrador" na Segunda Guerra Mundial. 

    As afirmações foram fortemente condenadas pelo primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu.

    "A Polônia solicitou às autoridades israelenses que esclarecessem o incidente e tomassem medidas para garantir a segurança da missão diplomática polonesa", disse Lompart a jornalistas no final deste domingo (18).

    O porta-voz lembrou que a polícia israelense já lançou uma investigação sobre o incidente.

    Na semana passada, o presidente da Polônia, Andrzej Duda, disse que assinaria a lei controversa que criminaliza as declarações que acusam os poloneses de cumplicidade no Holocausto e na propaganda da ideologia nacionalista ucraniana, mas encaminhou o texto ao Supremo Tribunal do país para uma revisão.

    O projeto de lei foi criticado já na fase de discussão por vários Estados, em particular, Israel, Ucrânia e os Estados Unidos. Israel acredita que a lei distorce a verdade histórica e exigiu que ela seja revista. O secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson, disse que o projeto de lei da Polônia "afeta negativamente a liberdade de expressão e a investigação acadêmica".

    Mais:

    Presidente da Polônia sanciona controversa lei que nega apoio do país ao Holocausto
    Rússia é a principal ameaça para Polônia, diz premiê polonês
    Polônia espera 'presença mais ampla' de tropas americanas no seu território
    Alemanha se nega a rediscutir reparações da Segunda Guerra com a Polônia
    Tags:
    holocausto, Benjamin Netanyahu, Mateusz Morawiecki, Rex Tillerson, Andrzej Duda, Varsóvia, Tel-Aviv, Israel, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik