03:51 13 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Silhuetas de crianças

    Suécia pretende tratar problema de abuso sexual infantil com detecção de pornô automática

    CC0 / Pixabay
    Europa
    URL curta
    0 51
    Nos siga no

    Depois de um caso conhecido de pornografia infantil em que um sueco foi sentenciado a 14 anos de prisão por ter encomendado dúzias de estupros de crianças on-line, o país está tomando medidas para introduzir a detecção automática e apagamento do pornô infantil, relatou a Sveriges Radio.

    Em meio ao crescente abuso sexual infantil on-line graças ao uso crescente da Internet por todo o mundo, a Suécia pretende introduzir uma nova ferramenta de detecção automática e apagamento de pornô infantil, comunica a Sveriges Radio.

    A rede sueca Ecpat Hotline contra o abuso sexual infantil pode se tornar a primeira na Europa a usar o programa Arachnid que, como se espera, ajudará no combate contra o cibercrime.

    O programa Arachnid procura fotos e vídeos que contém cenas indecentes. O passo seguinte para o programa é apagar o material, depois do que os responsáveis pelos servidores vão receber mensagens demonstrando a sua existência.

    "Nunca ficaremos à frente dos abusadores, mas agora estamos dando um grande passo em frente em termos de tecnologia. Assim, teremos uma melhor imagem sobre a escala do problema e seremos capazes de pressionar os legisladores", disse o secretário-geral da Ecpat, Anders Petterson.

    De acordo com Petterson, os crimes sexuais on-line contra crianças estão crescendo e podem envolver filmagens relacionadas com sexo e abusos com risco para a vida. A tecnologia permite aos abusadores cometerem crimes, mas também é importante para os parar, sublinhou ele.

    O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF, na sigla em inglês) avaliou a escala do tráfico sexual infantil em 1,8 milhões de crianças por ano. O problema tem sido agravado com a expansão da Internet, que elimina com sucesso as fronteiras nacionais. Enquanto as Filipinas foram identificadas como refúgio para transmissão ao vivo de abuso sexual infantil na rede, os "clientes", no entanto, são normalmente de fora do país.

    Nos meados de fevereiro, um sueco da cidade de Ostersund recebeu uma sentença de 14 anos de prisão por ter encomendado uma série de estupros de crianças nas Filipinas. O homem de 39 anos foi condenado por encomenda de estupros infantis em 32 ocasiões e depois os vídeos foram gravados no seu computador, comunicou a Sveriges Radio.

    "Na verdade, achamos que o valor penal total é superior a 14 anos, mas há uma regra segundo a qual ninguém pode ser condenado a um prazo que supere a sentença máxima mais um certo período", disse à Sveriges Radio a juíza Marit Akerblom. Ela explicou que se as 32 ocasiões fossem penalizadas uma de cada vez, a pena total atingiria "níveis dos EUA", o que não é aplicável na Suécia.

    De acordo com Petterson, saber que o material ainda está acessível na Internet é um forte drama psicológico com efeito duradouro para os sobreviventes de abuso sexual.

    A ferramenta Arachnid foi lançada pelo Centro Canadense para Proteção Infantil que combate o tráfico infantil. Por enquanto, 41 bilhões de imagens foram escaneadas em mais de 230 milhões de sites. Cada mês, por volta de 80.000 imagens e filmes desse tipo podem ser identificados, segundo comunicou a Sveriges Radio.

    Mais:

    'Dor e vergonha': Papa Francisco pede perdão por abusos sexuais da Igreja no Chile
    Assim os homens veem as mulheres quando estão bêbedos
    Quem não obtiver consentimento expresso para sexo será estuprador para lei da Suécia
    Tags:
    prisão, estupro, Internet, pornô, crianças, abuso sexual, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar