04:09 21 Novembro 2018
Ouvir Rádio
    Sistema de mísseis Iskander

    Presidente da Lituânia 'assusta' Europa com sistemas Iskander russos

    © REUTERS / Sergei Karpukhin
    Europa
    URL curta
    15719

    A "ameaça russa" afeta metade da Europa, afirmou a presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, em entrevista à mídia polonesa.

    Ao avaliar as ameaças à segurança nacional, Grybauskaite lembrou que em 2017 a Rússia realizou perto das fronteiras lituanas os exercícios Zapad 2017, qualificando-os como "manobras de ofensiva agressivas".

    "Os exercícios demonstraram a prontidão da Rússia para concentrar seu potencial militar na nossa fronteira, não apenas na lituana, mas também de todos os países do Báltico", disse a líder lituana.

    Após a instalação de sistemas de mísseis Iskander na região de Kaliningrado, a "ameaça russa" afeta já metade das capitais europeias, opina Grybauskaite.

    De acordo com ela, a Lituânia já está sendo "objeto de uma espécie de ataque direto", referindo-se a ciberataques supostamente efetuados pela Rússia e a sua influência na área de informação.

    "Apenas no ano, passado a Lituânia sofreu 50 mil ciberataques […] Desse ponto de vista, já estamos sentindo uma séria confrontação entre a frente leste da OTAN e a Rússia", disse.

    Devido à instalação dos Iskanders, a presidente propõe uma reforma ainda mais profunda da Aliança Atlântica, em particular, é necessário assegurar uma maior concentração das forças da OTAN na região do Báltico.

    "Apesar de as ameaças militares no futuro mais próximo serem menos prováveis, dado o caráter imprevisível deste país [Rússia], é melhor estarmos prontos para tudo", ressaltou Grybauskaite.

    Em janeiro, desconhecidos hackearam o portal de notícias lituano tv3.lt. O editor-chefe do portal, Arturas Anuzis, acusou disso hackers russos sem apresentar, porém, quaisquer provas.

    No início de fevereiro, Moscou confirmou a instalação de sistemas Iskander na região de Kaliningrado (enclave russo entre a Polônia e a Lituânia). Posteriormente, em 14 de fevereiro, o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, pediu à Rússia mais transparência sobre os locais de posicionamento dos sistemas.

    Comentando a instalação desses sistemas, o Pentágono afirmou que a Rússia não violou os acordos bilaterais, porém, o surgimento dos Iskanders em Kaliningrado pode ter um caráter desestabilizador devido às capacidades dos sistemas e sua proximidade aos membros da OTAN.

    Mais:

    Países da OTAN decidem criar zona militar na Europa
    Rússia: proteger nosso Estado de qualquer ameaça é 'nosso direito soberano'
    Tags:
    presença militar, sistemas de mísseis, Iskander, OTAN, Dalia Grybauskaite, Países Bálticos, Polônia, Lituânia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik