14:05 12 Dezembro 2018
Ouvir Rádio
    Bilionário George Soros falando no Clube Aberto Russo (Open Russia Club) em Londres

    Bilionário Soros promete pagar ainda mais para acabar com Brexit

    © REUTERS / Luke MacGregor
    Europa
    URL curta
    314

    O bilionário George Soros e suas Fundações de Sociedade Aberta (OSF, na sigla em inglês) pretendem doar mais 100.000 libras esterlinas (454 mil reais) à campanha anti-Brexit, comunica o jornal The Guardian.

    A última promessa sucede as 400.000 libras esterlinas (1,8 milhão de reais) antes doadas pelo bilionário à campanha Melhor para a Grã-Bretanha (Best for Britain).

    Soros declarou que sua doação está diretamente relacionada à campanha contra ele na imprensa de direita, por exemplo, quando o artigo do The Telegraph acusou-o de conspirar secretamente para interrupção do processo da saída do Reino Unido da União Europeia.

    Em 8 de fevereiro, a porta-voz da primeira-ministra Theresa May disse, comentando a doação de Soros, que a posição de Londres sobre a saída da União Europeia não vai mudar e não será realizado mais um referendo.

    O bilionário húngaro-norte-americano declarou ser um "apoiador orgulhoso" da campanha Melhor para a Grã-Bretanha, acrescentando que o Brexit é uma "proposta perda-perda"  tanto para a União Europeia como para o Reino Unido.

    De acordo com ele, antes do referendo, o Reino Unido se encontrava em uma situação econômica melhor do que o resto da Europa.

    Atualmente, o Reino Unido está negociando com o bloco condições para sua saída e planeja formalmente sair da União Europeia em 29 de março de 2019.

    Mais:

    Soros reprova dependência que Facebook e Google causam nas pessoas
    Trump pode destruir 'toda a civilização' em disputa com Coreia do Norte, diz Soros
    George Soros 'se rende' na luta teimosa contra Rússia, aceitado realidade
    Tags:
    referendo, doação, Brexit, Open Society Foundations (OSF), Theresa May, George Soros, Reino Unido, União Europeia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik