20:59 03 Abril 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 12
    Nos siga no

    A chanceler alemã Angela Merkel afirmou neste domingo (7) que está otimista sobre uma possível aliança com o Partido Social Democrata Alemã (SPD).

    O SPD e a União Democrata Cristã (CDU) de Merkel formaram a "grande coalizão" que governou a Alemanha de 2013 a 2017 — quando os sociais-democratas foram para oposição com vista às eleições, mas perderam.

    O partido de Merkel foi o mais votado, mas não conseguiu obter maioria parlamentar. Como optou por não governar como minoria, a CDU tentou formar aliança com outras duas agremiações menores, mas não obteve sucesso.

    As esperanças, então, voltaram para o SPD, mas os membros do partido de centro-esquerda resistem à uma nova aliança. Membros da agremiação descontentes com o diálogo com Merkel afirmam que uma parceria fortaleceria o partido de direita conservadora Alternativa para Alemanha (AfD) e os deixariam como principal nome da oposição.

    O líder da SPD, Martin Schulz, disse que as conversas estão ocorrendo de maneira construtiva. Ele afirmou que os dois partidos irão dialogar nos próximos 5 dias para descobrir se é possível formar uma coalizão — que será submetida à votação durante congresso partidário em 21 de janeiro. 

    Os alemães estão divididos sobre uma nova "grande coalizão". Segundo pesquisa da emissora ARD, 52% enxergam com ceticismo a união entre CDU e SPD, enquanto 45% são favoráveis.

    Com visões diferentes, os dois partidos devem encontrar dificuldades para alcançar acordos em campos como imigração, impostos, saúde e União Europeia.

    Mais:

    Arquivos secretos revelam como Alemanha nazista criou células na América Latina
    Alemanha termina destruição de armas químicas vindas da Líbia
    'O contador de Auschwitz': Alemanha decide que ex-oficial nazista de 96 anos será preso
    Alemanha: 47% dos alemães querem saída de Angela Merkel
    'Politizada', Igreja exerce mesmo papel que teve na Alemanha nazista, diz líder da AfD
    Tags:
    Martin Schulz, Angela Merkel
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar