07:07 28 Março 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    150
    Nos siga no

    No âmbito do acordo sobre o intercâmbio de prisioneiros alcançado pelas autoridades de Kiev e Donbass, hoje (27), as autoridades ucranianas entregam 306 pessoas às repúblicas autoproclamadas de Donetsk e Lugansk. Os chefes de Donbass, por sua parte, entregam a Kiev 74 pessoas.

    Trata-se da maior troca desde o início da guerra civil. As partes estavam se preparando para essa troca de prisioneiros histórica durante quase um ano e meio, sendo que as discordâncias repetidamente puseram esse evento em perigo. Mas finalmente o compromisso foi atingido.

    A última troca de prisioneiros ocorreu há mais de 15 meses. No âmbito dos acordos de Minsk, as partes prometeram realizar a troca de prisioneiros com base no princípio "todos por todos", mas não houve progresso devido a várias discordâncias entre as partes, inclusive a lista de pessoas que se intercambiariam.

    Ambas as partes repetidamente se culparam de tentar interromper o processo. Além disso, Kiev também enfrentou obstáculos legais, sendo que alguns dos prisioneiros foram acusados de "crimes graves", que impedem sua libertação.

    A Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) já expressou seu apoio quanto a esse passo. O representante especial da OSCE para Ucrânia, Martin Sajdik, destacou em seu comunicado que é um "gesto profundamente humanitário, ainda mais necessário no Natal e no Ano Novo".

    Mais:

    Kiev confirma ter tomado sob controle 2 povoações na zona neutra de Donbass
    Voluntário que impediu ofensiva da Ucrânia contra Donbass revela detalhes da operação
    Donbass ameaça Ucrânia com 'danos irreparáveis' em caso de provocações
    Cientista político: Kiev quer colocar 'tropas ocupantes' em Donbass e não pacificadores
    Tags:
    resolução, conflito, guerra civil, troca de prisioneiros, Acordos de Minsk, OSCE, Donbass, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar