00:15 04 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    571
    Nos siga no

    O Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia tem sido e continua sendo uma enorme fraude onde as mentiras são comuns, disse à Sputnik Sérvia o ex-presidente do Montenegro e antigo premiê da República Federal da Iugoslávia, Momir Bulatovic.

    A peculiaridade da mentira dos "poderosos deste mundo" é que aquele que foi enganado na realidade é incapaz de fazer qualquer coisa, disse Bulatovic à Sputnik Sérvia, perguntando-se quantas vezes os políticos ocidentais conseguiram enganar seus colegas sérvios.

    "Os EUA e a França garantiram a Ratko Mladic, ex-comandante do Exército dos Sérvios da Bósnia, que ele não seria levado a tribunal se os pilotos franceses que participaram no lado da OTAN dos bombardeios das posições sérvias fossem libertados. Os pilotos foram libertados, enquanto Mladic foi recentemente condenado a prisão perpétua em Haia", lembrou o interlocutor da agência.

    "Radovan Karadzic, ex-presidente da República Sérvia, também foi enganado. Richard Holbrooke, enviado especial do presidente dos EUA, prometeu-lhe, na presença de testemunhas, que o presidente sérvio não seria julgado se renunciasse ao cargo e permitisse que a delegação iugoslava realizasse negociações em Dayton [sobre o acordo de paz, no estado de Ohio].

    Embora relutantemente, o norte-americano deu a garantia por escrito", continuou Bulatovic. Posteriormente o Tribunal de Haia não tomou em consideração essa garantia e pronunciou uma sentença de 40 anos de prisão contra um homem de 70 anos.

    O ex-presidente da Iugoslávia Slobodan Milosevic foi enganado várias vezes. "Os mais importantes são os casos em que ele entendeu que seria enganado, mas não tinha outra escolha senão aceitar o que lhe era oferecido", disse Bulatovic. 

    "O antigo presidente francês François Mitterrand pediu a Milosevic que aceitasse a nomeação de Robert Badinter, ex-magistrado do Tribunal Constitucional, no cargo de chefe da comissão de arbitragem da Conferência Europeia para a Paz na Iugoslávia. O líder francês garantiu que Badinter não emitiria qualquer veredicto contrário aos interesses sérvios. Falei com Milosevic sobre os riscos que ele estava correndo. […] Milosevic respondeu: 'Sei, mas como dizer ao presidente francês que não confio nele?' Mitterrand acabou realmente por o enganar, porque Badinter decidiu que a Iugoslávia estava em processo de dissolução, de onde provieram todas as interpretações falsas do direito de secessão dos povos", lembrou Bulatovic.

    "É de lembrar os encontros entre Milosevic e Viktor Chernomyrdin, o enviado especial do presidente russo Boris Yeltsin. Ele, junto com o antigo presidente da Finlândia Martti Ahtisaari, lançou um ultimato a Milosevic quanto ao fim dos bombardeios da OTAN. Depois das negociações diplomáticas Milosevic aceitou as condições desfavoráveis propostas pelos intermediários internacionais", disse Bulatovic.

    Chernomyrdin devia garantir a Belgrado as condições mais favoráveis para a saída do conflito com a OTAN, mas na verdade a sua posição não deferia muito da da OTAN.

    Estes são apenas alguns exemplos das mentiras usadas pelos políticos ocidentais para enganar seus colegas sérvios.

    Mais:

    Sérvia apresenta novo material bélico com armas mortíferas para exportação (VÍDEO)
    Tags:
    mentira, política, Radovan Karadzic, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar