04:57 18 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Muçulmanos participando de uma oração em conjunto em Palermo, na Itália

    Muçulmanos não são 'completamente humanos', afirma político na Suécia

    © AP Photo/ Alessandro Fucarini
    Europa
    URL curta
    977

    O político Martin Strid, dos Democratas Suecos anti-imigração (SD), fez comentários ofensivos contra a comunidade islâmica em uma conferência nacional do partido. E tal declaração foi tão ofensiva que até mesmo os próprios membros da legenda cogitam a sua expulsão.

    Dirigindo-se à uma multidão de militantes, Strid disse, de acordo com várias fontes locais, que há uma escala de humanidade de 1 a 100, que os muçulmanos podem ser classificados e que nem todos eles são 100% humanos.

    "Em uma ponta da escala você é 100% humano, uma pessoa, tudo que faz parte desse conceito. Por outro lado, você é 100% muçulmano", disse ele. Ele continuou dizendo que "todos os muçulmanos estão em algum lugar dessa escala", com militantes do Daesh "perto de ser 100% muçulmano".

    E ele não havia terminado.

    "Se você é ex-muçulmano, você veio muito longe para ser totalmente humano", ao mesmo tempo em que afirmou que queria "libertar os muçulmanos do Islã", o objetivo é que eles se juntem à SD em vez disso.

    O discurso inflamado de Strid foi registrado pela emissora sueca SVT e foi compartilhado online, em uma instância pelo grupo Inte rasist, men (Não racista, mas) cuja missão é "mostrar a fonte inesgotável de humor e horror que os Democratas da Suécia defendem".

    Os membros do SD distanciaram-se dos comentários de Strid, com o secretário do partido Richard Jomshof definindo-os como "racistas" e esperando que Strid fosse expulso do SD. O líder do partido, Jimmie Åkesson, ecoou esses sentimentos, dizendo em entrevista à SVT que os comentários de Strid "podem ser os piores que já ouvi em um contexto desse tipo" e que é "muito próximo do racismo".

    Por sua parte, Strid pediu desculpas por suas observações.

    "Foi muito lamentável e eu me expressei muito desajeitadamente", informou a mídia local, citando uma entrevista dele para a agência de notícias TT. Strid disse ainda que ele estava ciente de que seu discurso poderia ser interpretado como dizendo que os muçulmanos não são 100% humanos.

    "Eu percebi [isso] e é muito lamentável. Conheço muitos muçulmanos e sou um bom amigo. As pessoas são pessoas, é claro", disse ele.

    Mais:

    Suécia não aguenta mais esperar que Coreia do Norte pague dívida de 40 anos
    Javalis radioativos estão à solta na Suécia
    'Rússia afeta a segurança da Europa', diz defensor das manobras na Suécia (VÍDEOS)
    Tags:
    preconceito, racismo, islamofobia, islamismo, islâmicos, muçulmanos, Daesh, Martin Strid, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik