05:04 19 Novembro 2019
Ouvir Rádio
    Novos caças de quinta geração europeus devem estar em operação até 2040

    Airbus revela como será o novo caça europeu desenvolvido por Alemanha e França (VÍDEO)

    © Foto / Reprodução / YouTube
    Europa
    URL curta
    0 1614
    Nos siga no

    O setor de Defesa e Espaço da companhia Airbus revelou publicamente como será o caça da quinta geração da União Europeia, que virá para substituir os aviões de combate Eurofighter Typhoon e Dessault Rafale.

    Segundo o portal britânico de assuntos militares Jane's 360, o New Fighter, cujo projeto foi apresentado esta semana em Berlim, será parte de uma família de aeronaves tripuladas e não tripuladas (Sistema Futuro de Combate Aéreo).

    Estima-se que o caça europeu de quinta geração estará pronto até 2040 e será desenvolvido conjuntamente pela Alemanha e pela França.

    No entanto, a Força Aérea alemã propôs substituir a sua frota de caças Panavia Tornado a partir de 2025, e o processo de aposentadoria para essas aeronaves deveria terminar em 2030. Por essa razão, Berlim está procurando uma aeronave que já esteja em operação, relataram fontes do Ministério da Defesa alemão.

    A "opção preferida" para substituir o Tornado alemão é o caça F-35 Lightning II norte-americano, da quinta geração da empresa Lockheed Martin.

    "A substituição deve ser por uma aeronave da quinta geração que possa ser detectada o mais tarde possível, que seja capaz de identificar os alvos a uma grande distância e abordá-los o mais rápido possível", disseram as mesmas fontes.

    Mais:

    Pentágono planeja equipar seus caças com laser potente
    Perigo nos céus: caças norte-americanos F-35 estão enferrujados
    'Invisível', novo caça Sukhoi Su-57 toma forma e chega em 2019 (FOTOS, VÍDEO)
    Tags:
    Dessault Rafale, Eurofighter Typhoon, Rafale, F-35, caça Panavia Tornado, aviação militar, caças de quinta geração, new fighter, eurofighter, Jane's 360, Airbus, Europa, França, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar