21:03 26 Junho 2019
Ouvir Rádio
    Uma criança imigrante em frente da Secretaria de Estado da Saúde e Assuntos Sociais (LAGeSo) em Berlim. 25 de agosto de 2015.

    Jornal alemão afirma que os registros de 30 mil candidatos a refúgio desapareceram

    © AFP 2019 / TOBIAS SCHWARZ
    Europa
    URL curta
    0 10

    A Alemanha perdeu dados de mais de 30 mil candidatos a asilo rejeitados que desapareceram do registro público, embora as organizações governamentais e de refugiados afirmem que as análises estatísticas que levaram ao número são imprecisas.

    O jornal Bild informou que o Registro Central de Estrangeiros (AZR) do governo alemão afirma que cerca de 54 mil pessoas foram obrigadas a deixar o país no final de 2016, mas apenas 23 mil pediram benefícios estatais, de acordo com uma lei aplicável a requerentes de asilo.

    "Não se pode descartar que os indivíduos já tenham deixado o país ou tenham desaparecido sem que a autoridade estrangeira relevante tenha sido informada", disse um porta-voz do Ministério do Interior ao Bild.

    Outro porta-voz do Ministério do Interior afirmou que os cálculos do jornal foram baseados em pressupostos imprecisos.

    "O artigo mal interpreta fundamentalmente a premissa básica de que apenas cerca de 49% de todos os estrangeiros registrados no AZR como obrigados a sair são pessoas cujos pedidos de asilo foram recusados", escreveu o porta-voz em um e-mail.

    "Além dos requerentes de asilo rejeitados, as pessoas com vistos expirados também são muitas vezes obrigadas a sair", disse o porta-voz, citado pela Reuters.

    Bernd Mesovic, diretor de política legal da organização de direitos de refugiados, Pro Asyl, concordou que os números da Bild podem não ser estatisticamente precisos

    "Só porque eles não estão na conta, não significa que tenham desaparecido […]. Não há confirmação sobre quem deixou o país, a menos que sejam indivíduos considerados perigosos", disse Mesovic. "As pessoas podem deixar a Alemanha sempre que quiserem, e muitos não informam autoridades quando o fazem".

    Ele também acrescentou que os imigrantes chegam na Alemanha e, em seguida, viajam voluntariamente para outro lugar.

    "Conheço casos de pessoas que dizem 'Estou cansado de esperar na Alemanha, vou voltar para o meu país de origem'", disse Mesovic.

    "Há pessoas que, mesmo voluntariamente, voltam para a Síria ou o Afeganistão. Eles não são obrigados a declarar seu destino e é difícil verificar".

    Tags:
    refugiados, Pro Asyl, Registro Central de Estrangeiros, AZR, Ministério do Interior da Alemanha, Bild, Bernd Mesovic, Afeganistão, Síria, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar