18:46 18 Outubro 2019
Ouvir Rádio
    German Vice Chancellor Sigmar Gabriel

    Relações 'destruídas' de EUA e Rússia são a 'maior ameaça' à paz, diz ministro alemão

    © AP Photo / Markus Schreiber
    Europa
    URL curta
    490
    Nos siga no

    O relacionamento "completamente destruído" entre os Estados Unidos e a Rússia é a maior ameaça à paz em todo o mundo, alertou o ministro de Relações Exteriores da Alemanha. O mundo verá mais incerteza se Moscou e Washington não conseguirem encontrar um terreno comum, alertou Sigmar Gabriel, em entrevista concedida neste domingo.

    Para o chanceler, se Moscou e Washington não conseguirem reparar os laços, "nossos filhos estarão crescendo em um mundo perigoso e incerto, cada vez mais armados com armas nucleares", disse Gabriel ao jornal Bild am Sonntag.

    "O relacionamento completamente destruído entre os EUA e a Rússia é a maior ameaça para a paz mundial", opinou Gabriel, citando também a implantação de mísseis nucleares armados na Europa, que é "mais do que provável".

    Segundo o ministro alemão, o seu país deve tornar-se "um poder para a paz", em vez da abordagem da chanceler Angela Merkel de "correr atrás dos planos de armamentos de Trump".

    Gabriel, um forte crítico do presidente dos EUA, Donald Trump, no passado chamou Trump de "ameaça à paz" e exortou Merkel a não ceder às demandas de Washington para acelerar os gastos militares da Alemanha.

    Em meados de agosto, Gabriel disse que "a submissão à política de armamento de Trump é errada e desnecessária", acrescentando que "a lógica da dissuasão" contra ameaças percebidas da Rússia arrisca uma maior escalada. Ele também acusou Trump, que ele diz que vê o mundo como "uma arena ou um campo de batalha", de promover "a lei do mais forte".

    Esta não é a primeira vez que membros de alto escalão do Partido Social Democrata (SPD) criticaram Trump por sua política externa. Em janeiro, o então ministro de Relações Exteriores, Frank-Walter Steinmeier, escreveu em um artigo no qual dizia que a ordem mundial do século 20 chegou ao fim, depois que Trump assumiu o cargo, e que os "tempos turbulentos" estão à frente.

    No campo bilateral, 20 munições nucleares estadunidenses B61 foram armazenadas em uma base militar em Buechel, na Alemanha. No entanto, Washington não confirmou isso oficialmente.

    Tempos difíceis

    As relações entre EUA e Rússia continuaram a deteriorar-se nos últimos anos, após o início da crise na Ucrânia, em 2014, seguido de um enorme aumento das tropas da OTAN no leste da Europa. O mais recente conflito nas tensões ocorreu no início deste ano, quando o Congresso dos EUA impôs novas sanções à Rússia. Por sua vez, Moscou reduziu o número de funcionários diplomáticos dos EUA na Rússia para 455 depois.

    Washington respondeu com ações hostis em setembro, dizendo à Rússia para fechar seu consulado-geral em São Francisco e suas missões comerciais em Washington e Nova York. Moscou insistiu que sua propriedade diplomática foi "detida ilegalmente".

    Por outro lado, há a expectativa de que Trump possa se encontrar com o presidente russo Vladimir Putin durante a cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC), em Danang, no Vietnã, nesta próxima semana.

    "Putin é muito importante porque eles podem nos ajudar com a Coreia do Norte. Eles podem nos ajudar com a Síria. Temos que falar sobre a Ucrânia", disse Trump à Fox News. Ele escreveu no Twitter em agosto que as relações entre os EUA e a Rússia estavam "em um estágio mínimo em todos os tempos, muito perigoso".

    O porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, disse aos repórteres na sexta-feira que não poderia excluir "a possibilidade de realizar tal reunião, e que está sendo coordenada agora". Ele acrescentou que a importância de qualquer contato potencial entre os presidentes da Rússia e os EUA "para todos os assuntos internacionais dificilmente possam ser superestimados".

    Mais:

    Putin revelou o segredo do 'código genético' dos russos
    Para ter novo iPhone X, na Rússia é preciso apenas declamar um poema sobre Putin
    Por que assassinaram esposa do homem que tentou matar Putin?
    Tags:
    guerra, conflito, política, diplomacia, relações bilaterais, paz, OTAN, Dmitry Peskov, Vladimir Putin, Donald Trump, Angela Merkel, Sigmar Gabriel, Rússia, Estados Unidos, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar