15:12 04 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    852
    Nos siga no

    Não são apenas os ativistas de origem russa, mas também os políticos estônios que defendem valores patrióticos, que se manifestam contra a presença dos militares da OTAN na Estônia, segundo revelou em entrevista à Sputnik Estônia a política e líder do movimento Estônia Inteligente e Íntegra, Maria Kaljuste.

    De acordo com Kaljuste, os recursos bem limitados da Estônia são gastos com financiamento das Forças Armadas da Estônia, embora a população do país esteja diminuindo. Deste modo, o dinheiro se desperdiça em detrimento do desenvolvimento da economia e aumento do padrão de vida dos cidadãos.

    "A presença da OTAN nos dá apenas uma ilusão de segurança que nos sai muito cara. A manutenção desta ilusão é devastadora para nosso povo, já que não temos capacidades econômicas de contribuir para o orçamento da OTAN do ponto de vista financeiro", assegura a política.

    "Nos afirmam que a presença das tropas da OTAN nos garante proteção, mas na verdade isso não é assim. Durante a sua última visita à Europa, o presidente dos EUA, Donald Trump, recusou aprovar o famigerado 5º artigo da Carta da OTAN sobre a defesa recíproca imediata dos países-membros no caso de uma agressão militar contra um deles", afirmou ela à Sputnik Estônia.

    Além disso, ela lembrou que no início de junho o jornal Washington Post publicou um artigo no qual o editor Charles Krauthammer perguntou aos seus leitores se algum deles acredita que EUA se lançariam em uma guerra contra a Rússia por causa da Estônia. Kaljuste sugeriu que o establishment político estadunidense estará se aproveitando dos estônios para reforçar suas posições e criar uma imagem falsa de defesa.

    A política citou o exemplo da Finlândia, que conseguiu elaborar sua própria abordagem à defesa da soberania sem aderir a quaisquer blocos políticos e militares.

    De acordo com ela, os finlandeses, com o fim de preservar sua independência e tirar proveitos econômicos, cooperavam com a URSS e estavam em uma posição neutra na confrontação entre o Ocidente e o Leste.

    Mais:

    Especialista: criando novas unidades, OTAN prepara-se para guerra híbrida com Rússia
    Neutralidade militar: por que OTAN adula a Sérvia?
    Soldados da OTAN bêbados armam briga em bar lituano
    Tags:
    bloco militar, agressão militar, OTAN, Países Bálticos, Estônia, EUA
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar