11:33 24 Junho 2018
Ouvir Rádio
    Rei da Espanha, Felipe VI

    Espanha 'deve enfrentar uma tentativa inaceitável' de dividir o país, diz rei Felipe VI

    © REUTERS / Angel Diaz/Pool
    Europa
    URL curta
    396

    A Espanha deve combater as tentativas das autoridades catalãs de dividir o país, disse o rei espanhol Felipe VI na sexta-feira (20).

    "A Espanha deve enfrentar uma tentativa inaceitável de separar parte de seu território nacional, e fará isso usando suas instituições democráticas legítimas, respeitando nossa Constituição e de acordo com os valores e princípios da democracia parlamentar em que vivemos por 39 anos", disse o monarca na cerimônia dos Prêmios da Princesa das Astúrias.

    Em 1 de outubro, mais de 90% dos mais de 2 milhões de catalães que participaram do referendo sobre a independência da região apoiaram a separação da Espanha. O referendo foi considerado ilegal pelas autoridades centrais espanholas e foi reprimido com violência. 

    O presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, anunciou em 10 de outubro que os resultados da votação permitiram a declaração de independência. No entanto, o líder catalão convidou o parlamento regional a suspender a proclamação para abrir um canal de diálogo com Madrid. 

    Na quinta-feira, Puigdemont negou-se a responder um requerimento do primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, sobre o status da Catalunha.

    Madri cogita acionar o artigo 155 da Constituição no sábado, o que permitiria ao governo central retirar da rica região autônoma alguns de seus poderes.

    Mais:

    Espanha reduz expectativa de crescimento em meio a incerteza na Catalunha
    Líderes da Catalunha são detidos por separação
    Se a Catalunha se tornar independente, quem será o próximo na Europa?
    Espanha se prepara para assumir a Catalunha – se não receber a 'resposta certa'
    O que Soros tem a ver com movimento independentista na Catalunha?
    Tags:
    Carles Puigdemont, Mariano Rajoy, Catalunha, Espanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik