11:33 20 Fevereiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 11
    Nos siga no

    Apesar da crescente pressão que enfrenta até mesmo dentro de seu partido, a primeira-ministra britânica Theresa May afirmou neste domingo (8) que é "resiliente" e que não irá se esconder de nenhum desafio.

    Em entrevista ao jornal Sunday Times, a primeira-ministra comentou a repercussão negativa de seu discurso na conferência do Partido Conservador na quarta-feira. Dois dias após o discurso, o ex-presidente do Partido Conservador Grant Shapps afirmou ter uma lista de 30 legisladores que apoiavam a renúncia de May.

    "A verdade é que meus sentimentos podem ser feridos, como todo mundo, mas eu sou bem resiliente", afirmou May.

    Em junho, ela convocou eleições gerais na expectativa de conseguir aumentar a participação do Partido Conservador no Parlamento. Sua tentativa, no entanto, falhou e a eleição acabou por aumentar o número de cadeiras do oposicionista Partido Trabalhista.

    Um dos possíveis oposicionistas dentro da própria agremiação da premiê é Boris Johnson. O atual chanceler, apesar de apoiar publicamente May, já chegou a ignorar as diretrizes da primeira-ministra e enfatizar suas próprias propostas sobre o Brexit em duas ocasiões.

    Na entrevista com o Sunday Times, May deixou no ar a possibilidade de retirar Johnson de seu cargo em uma reformulação ministerial: "Nunca foi meu estilo se esconder de um desafio e não vou começar agora".

    Mais:

    Theresa May pede novas sanções contra a Coreia do Norte após teste nuclear
    'Diga a eles que fico': May não pretende abandonar cargo de primeira-ministra após Brexit
    Comediante faz piada e 'demite' premiê britânica Theresa May (VÍDEO)
    Brexit: Cidadãos europeus poderão ficar no Reino Unido, diz May
    Theresa May: incidente em Finsbury Park está sendo tratado como possível ato terrorista
    Por que o Brexit e a aliança de May podem reabrir velhas feridas na Irlanda?
    Tags:
    Theresa May, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar