16:56 27 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    35617
    Nos siga no

    O ministro das Relações Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, exortou o Irã a parar de realizar seus testes de mísseis, que descreveu como "uma provocação".

    "Extremamente preocupado com os relatórios sobre um teste de mísseis do Irã, que é inconsistente com a Resolução da ONU 2231. Exorto o Irã a parar ações provocativas", escreveu Johnson em sua conta no Twitter.

    Horas anteriores, o Irã testou com sucesso o seu novo míssil balístico Khorramshahr, com uma faixa de até 2.000 quilômetros e capaz de transportar várias ogivas.

    O míssil foi exibido no dia 22 de setembro no desfile militar por ocasião da inauguração da Semana de Defesa, evento que marca o 36º aniversário do início da Guerra Iraque-Irã.

    De acordo com a imprensa ocidental, o Khorramshahr foi desenvolvido no Irã a partir do modelo norte-coreano Musudan (Hwasong-10).

    Por meio da resolução 2231, o Conselho de Segurança da ONU adotou, por unanimidade, o Plano Integral de Ação Conjunta, concluído em 2015 entre a Alemanha, a China, os Estados Unidos, a Rússia, a França, o Reino Unido e a União Europeia com o Irã para assegurar a natureza exclusivamente pacífica do programa nuclear persa.

    Mais:

    Presidente do Irã explicou por que Trump recorre ao Twitter
    Presidente iraniano: EUA 'pagarão caro' caso abandonem acordo nuclear com Irã
    Rússia se diz 'preocupada' com posição de Trump que pode quebrar acordo nuclear com Irã
    Netanyahu ameaça Irã e sugere que Israel possa usar armas nucleares
    'Novo Hitler': líderes do Irã e Venezuela revidam intervenção de Trump na Assembleia Geral
    Tags:
    Plano Integral de Ação Ordinária, Hwasong-10, Khorramshahr, Musudan, Guerra Iraque-Irã, Conselho de Segurança da ONU, Boris Johnson, Estados Unidos, União Europeia, Irã, Reino Unido, Alemanha, China, França, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar