21:06 26 Janeiro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    863
    Nos siga no

    As forças de segurança ucranianas afirmam que na região de Donbass caiu um veículo não tripulado Orlan de produção russa, frisando que isso prova o envolvimento russo no conflito regional. Os especialistas explicam se estas declarações são justificadas.

    Primeiramente, a informação foi divulgada pela assessoria de imprensa da operação militar ucraniana em Donbass. Os militares ucranianos afirmam que estes drones são usados frequentemente em Donbass para efetuar operações de reconhecimento e controle de fogo.

    Em uma conversa com a Sputnik, o especialista em assuntos militares Konstantin Sivkov afirmou que o Orlan-10 é um drone de venda livre, exportado em grandes quantidades.

    "O Orlan-10 é um drone de dupla utilização militar e civil. Ele é largamente utilizado a nível civil, é vendido livremente e é exportado em quantidades praticamente ilimitadas", explicou.

    Sivkov ressaltou que este veículo não tripulado é usado nos mais diversos campos: em obras de construção, em patrulhamento de regiões de difícil acesso, nos sistemas de combate ao fogo e em situações de emergência.

    O vice-chefe do Comitê Internacional do Conselho da Federação da Rússia, Andrei Klimov, falou com o RT e não descartou que tais informações possam ser uma provocação.

    "Não excluo uma provocação, que algum veículo possa ter sido deliberadamente apresentado como um armamento russo, tomando em conta toda a desinformação que Kiev continua difundindo por todo o mundo sobre a presença fictícia de tropas russas no território ucraniano", disse o senador.

    Mais:

    Poroshenko: 'Ainda há um longo caminho para estabelecer a paz sustentável em Donbass'
    Representante dos EUA: Moscou quer 'congelar' situação em Donbass
    Donbass: Ucrânia está se preparando para violar trégua
    Tags:
    veículo aéreo não tripulado, drone, Orlan-10, Forças Armadas da Ucrânia, Konstantin Sivkov, Donbass, Rússia, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar