15:49 18 Novembro 2017
Ouvir Rádio
    Sahra Wagenknecht, líder do partido alemão A Esquerda (Die Linke)

    'Espero que não haja ninguém tão estúpido para iniciar um conflito armado contra Rússia'

    © AP Photo/ Markus Schreiber
    Europa
    URL curta
    7317897877

    As sanções contra a Rússia prejudicam a economia alemã, disse Sahra Wagenknecht, líder do partido alemão A Esquerda (Die Linke) à RP Online.

    De acordo com suas palavras, a Alemanha deve tentar estabelecer boas relações com a Rússia, porque "as sanções contra Moscou são prejudiciais para a economia alemã e a política de confronto ameaça a segurança e a paz na Europa".

    Wagenknecht, que encabeça o seu partido nas próximas eleições alemãs, disse que não viu nenhum resultado das sanções adotadas contra a Rússia. Ela disse esperar que "não haja ninguém tão estúpido para iniciar um conflito armado contra a Rússia devido à Crimeia".

    Segundo a deputada, é o presidente dos EUA, Donald Trump, que representa o maior perigo para a sociedade.

    "O armamento nuclear dos EUA é imensamente maior que o da Coreia do Norte e o presidente norte-americano, que alimenta um conflito com a Rússia e ameaça no Twitter com um ataque nuclear, representa uma grande ameaça para a segurança global", disse ela.

    As eleições na Alemanha serão realizadas em 24 de setembro. Os alemães terão que eleger os 630 deputados do Parlamento Federal e o novo chanceler da Alemanha. De acordo com as últimas pesquisas, o atual líder na corrida eleitoral é Angela Merkel, da União Democrata Cristã (UDC), que está entre 14 e 17 pontos acima do seu adversário Martin Schulz, do Partido Social Democrata da Alemanha (SPD).  É muito provável que a atual chanceler vença novamente as eleições.

    Mais:

    Hillary Clinton: Putin desejava minha derrota nas eleições presidenciais
    Washington Post está preocupado com não intervenção da Rússia nas eleições na Alemanha
    Tags:
    relações bilaterais, perigo, conflito, eleições, Angela Merkel, Donald Trump, Rússia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik