15:14 09 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    Manobras perto da fronteira ocidental da Rússia (36)
    1019
    Nos siga no

    A mídia polonesa está repleta de notícias alarmantes ligadas à presença temporária do contingente militar russo no território da República da Bielorrússia. As Forças Armadas da Polônia decidiram fechar a partir de meados de setembro o espaço aéreo do país ao longo de suas fronteiras orientais.

    As limitações aos voos de aviões comerciais abrangerão não só a fronteira da Polônia com a Bielorrússia, mas também com a região russa de Kaliningrado. As restrições compreenderão a aviação civil, paraquedistas e drones. Já os voos regulares, VIP, de policiamento e militares continuarão ocorrendo como de costume.

    O motivo formal para fechamento do espaço aéreo se trata da realização dos exercícios Zapad 2017 e sua alegada ameaça. Esse medo teria algum fundamento real? Qual seria o motivo para tal histeria? O vice-almirante aposentado polonês Marek Toczek expressou sua opinião para a Sputnik Polônia.

    "Durante todo o mês de setembro, no espaço aéreo, abrangendo uma faixa de 30 quilômetros ao longo da fronteira oriental da Polônia, serão introduzidas limitações aos voos civis. Fontes militares declararam se tratar do fortalecimento do sistema de defesa antiaérea. Porém, não há dúvida alguma de que as limitações aos voos estejam relacionadas aos exercícios Zapad 2017. De acordo com a mídia polonesa, estes serão os maiores treinamentos desde os tempos da Guerra Fria. Contudo, não corresponde à verdade. Vale lembrar das manobras da OTAN na Polônia perto da fronteira com a Rússia, Anakonda 2016."

    Para o militar aposentado polonês, tudo não passa de uma jogada política e midiática. Em outras palavras, jogam com o psicológico da população se baseando em uma "ameaça russa".

    Destróier USS Porter da marinha dos EUA (DDG 78) durante uma visita planejada ao porto de Constança, Romênia, 13 de junho de 2016
    © REUTERS / US Navy/Mass Communication Specialist 3rd Class Robert S. Price/Handout
    "Eu acho que se trata do que é falado pelos políticos e lido na mídia. É um pretexto para envolvimento de novas ferramentas da influência psicológica de resposta à alegada ameaça por parte da Rússia. O que os russos e seus aliados fazem em seu território é direito soberano e cabe a eles decidirem. Pode-se dizer o mesmo sobre os poloneses e seus aliados, que nunca levam em consideração os aspectos psicológicos da provável reação de Estados vizinhos. São jogos destinados a despertar emoções nas pessoas que são suscetíveis a sentirem a influência. Infelizmente, a maioria das pessoas não tem oportunidade ou elas simplesmente não prestam atenção devida à situação, e por isso são expostas a tais manipulações, que, atualmente, são numerosas. Isso causa indignação dos que são a favor do estabelecimento das relações mais amistosas entre os vizinhos. Mas as relações observadas agora, sem dúvidas, não são amistosas. Eu lamento por ter sido tomado esse caminho, que não levará a mudanças positivas em breve", acrescentou.

    Mesmo com as declarações da mídia oriental – especialmente a polonesa – sobre a ausência de transparência dos exercícios Zapad, que serão realizados em território bielorrusso, Marek Toczek frisou que "o Ministério da Defesa da Rússia convidou os representantes da mídia estrangeira para cobrir os exercícios, bem como observadores da Polônia, Ucrânia, Lituânia, Letônia, Estônia, Suécia e Noruega. Convites foram envios também para representantes da ONU, OSCE, OTAN e do Comitê Internacional da Cruz Vermelha. A transparência dos exercícios em questão é percebida em sua totalidade". 

    Os russos estariam ou não à beira de invadir o território polonês?

    De acordo com Marek Toczek, "representantes do Ministério da Defesa polonês ativamente apoiam essa retórica, mas cada país tem direito soberano de organizar projetos, incluindo os de defesa, em escalas que achar apropriadas. As normas do direito internacional não foram violadas, as organizações e Estados, interessados em observar os treinamentos, foram convidados. Não há base alguma para reclamar".

    O militar aposentado polonês acredita que seria muito melhor se os políticos de seu país definissem os treinamentos Zapad 2017 como cooperação regional, ao invés de tentativa de confronto. "Em nossa região não há conflitos, por isso não há necessidade de se preparar para ações militares […] Como eu já tinha dito, trata-se de jogos políticos que visam manter tensões infundadas."

    Tema:
    Manobras perto da fronteira ocidental da Rússia (36)

    Mais:

    Deputado egípcio: manobras russo-egípcias beneficiarão ambos os países
    Reforço das nuvens: paraquedistas da Rússia e Egito realizarão manobras conjuntas
    Tags:
    manobras, Zapad 2017, Ministério da Defesa, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar