23:02 25 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Um Airbus da companhia aérea britânica EasyJet na pista do aeroporto de Lille-Lesquin, no norte da França.

    Piloto francês é condenado após admitir ter aterrissado um avião sob efeito de ecstasy

    © AFP 2017/ DENIS CHARLET
    Europa
    URL curta
    0 36410

    Um piloto francês de 49 anos que trabalhava para a Easy Jet foi condenado na corte penal do Créteil depois de confessar ter aterrissado um avião em Paris sob efeito de ecstasy. Ele recebeu uma pena de prisão de 12 meses e foi impedido de voar.

    "Eu tinha suores, eu não estava me sentindo bem. Eu estava fazendo qualquer coisa quando pousamos", disse o piloto em conversas telefônicas obtidas pela polícia.

    O piloto admitiu ter tomado um terço de uma pílula de ecstasy. Ele afirmou no tribunal que suas ações eram um "erro indesculpável" e que estava "confiante de que os efeitos colaterais da droga desapareceriam após duas horas".

    O piloto também admitiu ser usuário de cocaína e maconha, mas disse que usualmente esperava de dois a três dias depois de tomar substâncias ilícitas para se desintoxicar antes de voar. O promotor afirmou que o homem parecia estar sofrendo de dependência química. "Você não estava na mesma forma física que um piloto que não consumiu nada", disse o promotor.

    A EasyJet divulgou uma declaração afirmando que o piloto tinha sido banido da função durante a investigação policial. "A segurança dos passageiros e da tripulação da EasyJet é a nossa prioridade número um e temos uma abordagem de tolerância zero para drogas e álcool", disse a companhia aérea.

    "Como primeiro oficial, ele sempre voaria sob o comando de um capitão experiente da EasyJet e se qualquer capitão que voasse com ele observasse um comportamento sugerindo uso de drogas ou quaisquer outras violações de segurança, teríamos tomado medidas imediatas", se justificou a companhia.

    Tags:
    EasyJet, Créteil, França, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik