08:10 21 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Bandeira de Polônia

    Golpe de Estado na Polônia: pode o país europeu repetir o destino da Ucrânia?

    © REUTERS / Agencja Gazeta/Grzegorz Celejewski
    Europa
    URL curta
    2100

    A política das autoridades da Polônia levará o país a um golpe de Estado similar ao Maidan da Ucrânia, declarou o líder da oposição polonesa, Grzegorz Schetyna.

    No fim de novembro de 2013, os partidários da integração europeia da Ucrânia invadiram a Praça da Independência em Kiev (Maidan), protestando contra a decisão de suspender a firmação do acordo de associação entre a Ucrânia e a UE. Nas semanas posteriores, o Maidan se tornou o epicentro de confrontos entre os radicais e a polícia, resultando em numerosas vítimas mortais das ambas as partes e levando a um golpe de Estado.

    "Não quero outro Maidan, mas [Jaroslaw ] Kaczynski e a maior parte do Lei e Justiça [partido governante, PiS, na sigla em polonês] fazem tudo para chegar a uma situação semelhante", disse Grzegorz Schetyna em uma entrevista à cadeia de TV Polsat.

    Em 19 de julho, o líder do PiS perdeu a paciência, chamando os membros da oposição de "canalhas", "assassinos" e "traidores" por usarem o nome de seu irmão, Lech Kaczynski, falecido em um acidente aéreo na Rússia, como argumento contra o projeto de reforma da Corte Suprema.

    "Não pronunciem o nome de meu irmão com suas bocas traidoras, vocês o destruíram e o assassinaram", disse Jaroslaw Kaczynski.

    Schetyna expressou a esperança que Kaczynski peça desculpas aos deputados da oposição.

    "Estas palavras são inexplicáveis, não podem ser justificadas de maneira alguma", sublinhou.

    Segundo o político, os gritos que deu Kaczynski ao insultar a oposição demonstram seu estado psicológico.

    O avião do presidente polonês, Lech Kaczynski, um Tu-154 de produção russa, despenhou-se em 10 de abril de 2010 perto da cidade russa de Smolensk, ao realizar a manobra de aterrissagem em meio a um forte nevoeiro, sem condições de visibilidade.

    No acidente não sobreviveu ninguém dos oito tripulantes e 88 passageiros, integrantes de uma delegação governamental que viajava à Rússia.

    De acordo com os resultados da investigação russa, anunciada no início de 2011, a principal causa da tragédia foi a decisão dos pilotos poloneses de aterrissar em um contexto de condições climáticas desfavoráveis.

    Mais:

    Polônia desiste de seu passado histórico?
    'Hoje não estamos armados': Polônia construirá seus próprios sistemas de defesa antimíssil
    Tags:
    contradição, tensão política, Maidan, Grzegorz Schetyna, Lech Kaczynski, Jaroslaw Kaczynski, Rússia, Ucrânia, Polônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik