10:36 02 Dezembro 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    2131
    Nos siga no

    O presidente da Bielorrússia, Aleksandr Lukashenko, nega que seu governo tenha pretensões geopolíticas enquanto questionou o envio de tropas da OTAN para perto das fronteiras do país.

    "O nosso país não tem ambições geopolíticas, mas temos de defender nossos interesses nacionais com todos os meios disponíveis", disse ele em uma cerimônia com graduados de academias militares e o alto comando do Exército.

    Ele comentou que "o país se deve apoiar em suas próprias Forças Armadas e na cooperação com os países aliados".

    Lukashenko avisou que os "métodos militares ainda estão no arsenal para resolver os problemas internacionais, como o demonstram os acontecimentos dos últimos anos".

    "Sem um exército bem preparado e equipado não pode existir uma Bielorrússia soberana", acrescentou o presidente.

    As Forças Armadas devem garantir a integridade territorial e a estabilidade do país e responder de forma contundente às novas ameaças, qualquer que seja sua origem.

    Neste sentido, ele sublinhou que os exercícios militares conjuntos da Rússia e Bielorrússia Zapad 2017 serão um passo importante para garantir a segurança nacional.

    Os treinamentos Zapad 2017 terão lugar entre 14 e 20 de setembro deste ano na Bielorrússia.

    Segundo o ministro das Relações Exteriores da Alemanha Sigmar Gabriel, a OTAN enviou cerca de 4.500 soldados para a Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia, os três últimos são vizinhos da Bielorrússia.


    Mais:

    Lituânia considera exercícios militares Zapad 2017 uma ofensiva contra OTAN
    Especialista russo: 'OTAN se parece com um câncer que afeta cada vez mais países'
    Tags:
    defesa, soberania, exercícios militares, Zapad 2017, OTAN, Aleksander Lukashenko, Rússia, Bielorrússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar