21:59 23 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    O maior navio da Marinha do Reino Unido, o porta-aviões Queen Elizabeth

    Maior navio da Marinha do Reino Unido pode ser alvo fácil de ciberataque (FOTO)

    © AP Photo/ Andrew Milligan
    Europa
    URL curta
    29816

    O maior navio da Marinha do Reino Unido, o porta-aviões Queen Elizabeth, pode vir a sofrer ciberataques por possuir tecnologia de software antiga, informa o jornal The Telegraph.

    O navio, batizado em homenagem à rainha Isabel I (reinado de 1558 a 1603), foi lançado em sua primeira missão nesta segunda-feira (26). O navio passará suas primeiras seis semanas no mar do Norte, "testando seus sistemas", devendo voltar no outono ao porto de origem, Portsmouth.

    Entretanto, segundo é visto nas imagens, alguns computadores do centro de controle do navio utilizam o sistema operacional Windows XP.

    ​Não obstante, a empresa Microsoft já não presta nenhum apoio aos usuários desse sistema operacional. Consequentemente, os sistemas informáticos são muito vulneráveis, caso alguém tente invadi-los.

    Por exemplo, muitas organizações que enfrentaram ciberataques com vírus Wannacry, utilizavam exatamente o sistema operacional Windows XP, sublinha o jornal.

    Mais de 700 pessoas, entre 17 e 58, viajarão a bordo do porta-aviões britânico Queen Elizabeth nessas semanas. De acordo com o jornal The Guardian, o navio custou à Grã-Bretanha 3,5 bilhões de libras esterlinas (R$ 14,9 bilhões).

    Mais:

    Sob vigilância: submarino russo cruza canal da Mancha escoltado por navio britânico
    Grã-Bretanha vai enviar destróier para o mar Negro pela primeira vez desde a Guerra Fria
    Grã-Bretanha quer pagar a 'defesa' da Ucrânia e dos países Bálticos contra a Rússia
    Grã-Bretanha irá cooperar com Trump na garantia da segurança mundial
    Tags:
    computadores, segurança cibernética, navio, porta-aviões, Marinha, Microsoft, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik