00:34 19 Julho 2019
Ouvir Rádio
    Stephen Hawking

    Se não colonizar a Lua e Marte, a humanidade pode ser extinta, diz Stephen Hawking

    © NASA . Paul E. Alers
    Europa
    URL curta
    17912

    A opinião não é nova. Mas o cientista britânico Stephen Hawking voltou a reforçar nesta semana que os seres humanos precisam pensar em abandonar a Terra em até 30 anos, sob pena de serem extintos. E para isso, a Lua e Marte aparecem como opções viáveis.

    Participando do festival ciêntífico Starmus, em Trondheim, na Noruega, Hawking voltou a afirmar que as mudanças climáticas e a superpopulação são os dois principais adversários da luta do homem pela própria sobrevivência no futuro. 

    “Estou convencido que os humanos precisam abandonar a Terra”, afirmou o cientista, em declarações reproduzidas pelo jornal britânico The Telegraph. “[O planeta] está se tornando muito pequeno para nós, e nossos recursos naturais estão se esgotando em velocidade alarmante”.

    Ainda de acordo com Hawking, parte do problema passa pelo próprio comportamento da humanidade nas últimas décadas. “Demos ao nosso planeta um presente desastroso, que é a mudança climática, subindo as temperaturas, reduzindo as calotas polares, deflorestando e aniquilando espécies de animais”.

    O raciocínio do cientista acompanha a história da humanidade. Ele lembrou que, “quando alcançamos uma crise similar, normalmente havia algum lugar para colonizar”, mencionando o “novo mundo” encontrado por Cristóvão Colombo em 1492, quando o navegador de Gênova (Itália) chegou à América Central.

    “Agora não há nenhum novo mundo, não há utopia logo ali na esquina. Estamos esgotando todos os espaços e os únicos lugares para irmos são outros mundos”, sentenciou Hawking.

    Além dos riscos internos, a Terra ainda pode ser alvo de um asteróide, como já ocorreu no passado. “Não se trata de ficção científica, mas sim daquilo que está garantido pelas leis da física e da probabilidade”, emendou, dizendo ainda que “corremos o risco de ficar e sermos aniquilados”.

    Planos para ir ao espaço não faltam. A China pretende mandar um astronauta à Lua em breve, ao passo que a NASA trabalha para enviar o homem a Marte até 2030, segundo os cálculos mais recentes. Se isso ocorrer, poderá “mudar completamente o futuro da humanidade”, assim como “também poderia determinar se teremos algum futuro”, segundo Hawking.

    O cientista britânico estima, segundo seus cálculos, que uma base lunar poderia estar de pé em 30 anos, enquanto um posto semelhante em Marte levaria 50 anos para se tornar uma realidade. Hawking ainda mencionou o ‘Próxima B’, planeta do sistema solar de Alfa Centauro, que teria condições semelhantes às da Terra e que foi descoberto recentemente.

    Além de levar grandes contigentes de pessoas, animais, plantas e outros seres vivos – em um cenário digno da fábula da Arca de Noé –, a humanidade precisará “construir uma civilação, com um novo ecossistema”, concluiu o cientista.

    Ainda de acordo com Hawking, um pequeno passo foi dado pelo bilionário russo Yuri Milner e o seu projeto “Breakthrough Startshot”, iniciativa que quer procurar evidências de inteligência extraterrestre ao longo de um período de pelo menos 10 anos.

    Mais:

    Stephen Hawking: restam apenas 100 anos para salvar humanidade
    Stephen Hawking: chegou o momento mais perigoso para o nosso planeta
    Stephen Hawking diz quanto tempo de vida resta à humanidade na Terra
    Tags:
    arca de noé, extinção, humanidade, espaço, alfa centauro, próxima b, ciência, NASA, Starmus, Yuri Milner, Stephen Hawking, Sistema Solar, Espaço, Lua, Marte, Terra, Europa, Noruega
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar