16:38 19 Setembro 2019
Ouvir Rádio
    O caça russo Su-24

    Ex-militar turco: Su-24 russo foi abatido por ordem de general da aviação da Turquia

    © Sputnik / Mihail Mokrushin
    Europa
    URL curta
    661
    Nos siga no

    A mídia turca comunica que neste momento na capital, Ancara, está em curso um julgamento sobre a tentativa de golpe militar que ocorreu na Turquia em 15 de julho de 2016.

    Recentemente, durante a audiência do julgamento, onde estão sendo processadas 221 pessoas, se apresentou o ex-general de brigada das Forças Armadas da Turquia Gokhan Sahin Sonmezates, que é acusado de ter preparado o plano para um atentado contra o presidente turco Erdogan e de ter chefiado um grupo de rebeldes que tentaram realizar esse atentado.

    Sonmezates nega sua culpa em relação à preparação do atentado, mas durante seu discurso no julgamento ele abordou o tema do avião russo Su-24 abatido em 24 de novembro de 2015.

    Lembramos que a sociedade turca tem uma opinião difundida que a ordem de abater o avião russo foi dada por membros da organização de Fethullah Gulen que se chama FETO (é considerada como uma organização terrorista na Turquia).

    O ex-militar que está sendo julgado revelou que os membros da organização em questão "não são coniventes com a divulgação desta ordem. A ordem de abater o avião russo foi dada por um dos generais da Força Aérea da Turquia. Todo o processo demorou 22 minutos. O general, não vou dizer o nome dele, emitiu a ordem correspondente e depois o avião foi abatido. Isto não é um segredo, todos os generais sabem disso na Força Aérea. <…> O general agiu no quadro do seu mandato que lhe deu o governo".

    Mais:

    Chanceler turco quer pedir pessoalmente desculpas à viúva do piloto do Su-24
    EXCLUSIVO: 'Su-24 foi derrubado com apoio da OTAN'
    Mídia turca: ex-premiê confessa ter ordenado abater Su-24 russo
    Tags:
    avião abatido, golpe militar, Su-24, Fethullah Gulen, Recep Tayyip Erdogan, Síria, Turquia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar