11:42 22 Julho 2017
Ouvir Rádio
    Militares norte-americanos

    Tropas dos EUA chegam à Suécia para repelir 'ameaça russa'

    © AFP 2017/ Nikolay Doychinov
    Europa
    URL curta
    10478308

    Com a Suécia assustada com a alegada "ameaça russa", o ministro da Defesa sueco Peter Hultqvist manteve na véspera um encontro com o secretário da Defesa dos EUA, que prometeu prestar apoio à Suécia "em caso de agressão russa".

    Esta não foi a primeira vez que Peter Hultqvist visitou o Pentágono, mas foi a primeira em que ele se encontrou com o secretário da Defesa James "Mad Dog" Mattis. O primeiro assunto abordado durante o encontro foi o acordo de cooperação aprofundada na área da defesa, que havia sido assinado no ano passado pelo então secretário da Defesa dos EUA, Ashton Carter.

    "Tenho prazer de ser testemunha de um desejo mútuo tão forte de desenvolver certos aspetos deste acordo e de ver a coincidência de posições das partes quanto ao acordo", disse Peter Hultqvist à agência sueca TT após o encontro.

    Este acordo importante, virado a melhorar a cooperação bilateral na área de treinamento, equipamento e pesquisa, foi visto como um sinal de afastamento da Suécia de seu estatuto tradicional de país não-alinhado, que tem servido de base da política externa nacional por muitos anos. Dada a maneira como a mídia sueca apresenta a suposta "ameaça russa", mais pessoas se expressam a favor da cooperação em matéria de defesa aumentada e adesão à OTAN.

    Ultimamente, vários políticos suecos e o governo têm adotado uma posição anti-russa, apresentando a perspectiva de um "ataque russo contra a Suécia" como se fosse uma possibilidade iminente. Em sua entrevista ao jornal Göteborgs-Posten, o ministro da Defesa sueco acusou a "Rússia de Putin" de ter ambições de superpotência e de tentar perturbar a ordem mundial. Ele também opinou que "não é surpresa" que os russos queiram "dividir o Ocidente".

    Durante a visita, James Mattis acalmou seu homólogo sueco, assegurando que os EUA prestariam apoio à Suécia "caso a Rússia decida atacar".

    "Estaremos do lado da Suécia e de todas as outras democracias. A Suécia não faz parte da OTAN, mesmo assim, do nosso ponto de vista, é um amigo e aliado", disse James Mattis, citado pelo jornal Dagens Nyheter.

    A próxima oportunidade para os EUA demonstrarem seu apoio acontecerá no outono, durante os exercícios militares Aurora, que são considerados os maiores das últimas décadas. Os exercícios Aurora da Aliança Atlântica vão envolver cerca de 20. 000 efetivos e 40 entidades, sendo realizados em terra, no ar e no mar, inclusive na Suécia central, perto de Estocolmo. Os EUA enviarão mil soldados, assim como veículos todo-o-terreno, helicópteros de ataque Apache, helicópteros de transporte Chinook e dois destroieres.

    Antes dos treinamentos, Peter Hultqvist considerou importante advertir contra ataques cibernéticos russos que possam interromper as manobras ou distribuir informações falsas.

    Em setembro, deverão também ter lugar os exercícios militares russos Zapad, que se realizam de quatro em quatro anos, e que ocorrerão quase ao mesmo tempo que os Aurora. No entanto, Hultqvist excluiu a possibilidade de qualquer cooperação militar com a Rússia.

    Facebook

    Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

    Mais:

    Rússia pode criar comissão para investigar interferência dos EUA na política russa
    EUA reafirmam apoio à entrada da Geórgia na OTAN
    Tags:
    exercícios militares, cooperação militar, OTAN, James Mattis, Peter Hultqvist, Rússia, EUA, Suécia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik