10:08 17 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Boris Johnson, novo Ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha

    Indianos ficam indignados com chanceler britânico por causa do uísque

    © REUTERS/ Toby Melville
    Europa
    URL curta
    724

    O chanceler britânico Boris Johnson irritou os adeptos de uma das religiões tradicionais da Índia, os sikh, quando, durante a visita a um templo sikh em Londres, mencionou o tema do uísque escocês, embora os sikhs estejam proibidos de beber álcool, informa o jornal The Guardian.

    De acordo com a informação da mídia, Johnson visitou o templo sikh junto com a premiê do país, Theresa May, no âmbito da campanha eleitoral. Curiosamente, no momento o chanceler usava um turbante laranja, que é um atributo inalienável dos seguidores desta religião.

    "A taxa que a Índia aplica ao uísque escocês está nos 150%.  Temos que o levar para os nossos parentes [na Índia] sem taxas …. Espero que não tenha perturbado ninguém, dizendo que se alguém viaja para a Índia ele deve levar consigo uma garrafinha de uísque", declarou Boris Johnson no templo dos sikhs.

    As palavras dele, como destaca o jornal, irritaram os fiéis. Um deles, uma mulher de nome Balbir Kaur, demonstrou sua indignação ao ministro. "Como você pode falar sobre álcool em um templo sikh? É totalmente inaceitável!", reclamou ela.

    Aliás, o ex-prefeito de Londres continuava desenvolvendo o seu discurso: "Para mim é pena que vocês tratem o álcool como uma coisa má, eu entendo a vossa posição. Porém, não é o ponto de vista de todas as religiões". Como aponta o jornal, Johnson acabou por pedir desculpa pelas suas palavras.

    Facebook

    Procure a página Sputnik Brasil no Facebook e descubra as notícias mais importantes. Curta e compartilhe com seus amigos. Ajude-nos a contar sobre o que os outros se calam!

    Mais:

    Boris Johnson não vai se desculpar por frases polêmicas sobre líderes mundiais
    Johnson, líder do Brexit, assume chancelaria do Reino Unido
    Tags:
    parlamento, eleições, negociações, Parlamento britânico, Theresa May, Boris Johnson, Londres, Grã-Bretanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik