16:20 22 Janeiro 2018
Ouvir Rádio
    Uma mulher chora em Odessa, na Ucrânia, onde mais de 50 pessoas morreram tentando escapar durante confrontos em 2014

    Putin insta comunidade internacional a evitar crimes como o massacre de Odessa de 2014

    © AP Photo/ Vadim Ghirda
    Europa
    URL curta
    1790

    O presidente russo, Vladimir Putin, pediu nesta terça-feira à comunidade internacional que evite a recorrência de crimes como o ataque de nacionalistas pró-Kiev contra manifestantes na cidade ucraniana de Odessa, em 2 de maio de 2014, que matou dezenas de pessoas.

    Depois de se encontrar com a chanceler alemã, Angela Merkel, Putin chamou a atenção para o fato de que os responsáveis ​​pela tragédia ainda não tinham sido responsabilizados.

    "A comunidade internacional não tem o direito de esquecer a [tragédia de Odessa] nem de permitir tais crimes bárbaros no futuro", disse Putin.

    Em 2 de maio de 2014, um confronto entre os partidários radicais do novo governo em Kiev e manifestantes anti-governo começou na Praça Hrets'ka de Odessa e resultou na demolição de um acampamento de grupos anti-governo na praça Kulykove Pole e na retirada de um grupo de manifestantes para Casa dos Sindicatos da cidade. O grupo foi bloqueado no local pelos radicais e o edifício foi, posteriormente, incendiado por coquetéis Molotov lançados pelos radicais.

    Segundo o Escritório do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (OHCHR), 48 pessoas, incluindo sete mulheres e um menor, morreram, enquanto o número total de vítimas ultrapassou 250. 26 pessoas de ambos os lados respondem a acusações no caso e seis indivíduos foram identificados como suspeitos. Mesmo assim, a justiça não conseguiu condenar ou punir ninguém pelos eventos.

    Em fevereiro, o chefe da Missão Especial de Monitoramento da OSCE na Ucrânia, Alexander Hug, disse que a investigação do incidente em Odessa não foi realizada de forma eficiente e criticou a falta de resultados.

    Veículos de imprensa informaram em dezembro de 2016 que o tribunal de Odessa decidiu relançar a investigação sobre o incidente devido às mudanças na bancada de juízes.

    Mais:

    'Kiev está escondendo a verdade sobre a tragédia de Odessa'
    Bofetada para Kiev: investigação do massacre em Odessa descumpre normas do direito
    EUA: Ucrânia fracassou na investigação sobre tragédia de Odessa
    Tags:
    Missão Especial de Monitoramento da OSCE, Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, OSCE, Alexander Hug, Angela Merkel, Vladimir Putin, Praça Hrets'ka de Odessa, Kulykove Pole, Odessa, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik