23:23 23 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Premiê da Estônia Juri Ratas

    Premiê da Estônia considera Rússia uma das principais ameaças à segurança nacional

    © AP Photo / Alessandra Tarantino
    Europa
    URL curta
    643

    Primeiro-ministro da Estônia Juri Ratas apresentou numa reunião do parlamento o projeto de bases da política de segurança, mencionando o "aumento da atividade militar" da Rússia, informa o serviço de imprensa do governo.

    De acordo com Ratas, a segurança da Estônia depende da vitalidade do sistema de segurança transatlântico e das relações entre os países da região que são "influenciadas diretamente pela atividade militar e agressividade da Rússia".

    Além disso, é necessário resistir a riscos como ataques cibernéticos, interrupções no fornecimento de eletricidade, fome e falta de água. Por essa razão, afirmou o premiê, a criação do sistema de segurança exige a participação de cada cidadão.

    "Os nossos bem-estar e segurança têm por base a família e a segurança do país. Nossa segurança fica mais sólida numa sociedade mais unida, ou seja, uma sociedade atenta e cuidadosa de cidadãos ativos", concluiu Ratas.

    Soldado da OTAN no Afeganistão, foto de arquivo
    © AP Photo / Massoud Hossaini
    Anteriormente, o secretário-geral da OTAN Jens Stoltenberg tinha dito que a Aliança achava não haver uma ameaça direta ao seu flanco leste vinda da Rússia.

    Moscou sublinhou muitas vezes que a Rússia nunca atacaria um dos países-membros da OTAN. Segundo o ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov, a OTAN sabe disso muito bem, mas usa este pretexto para instalar mais equipamento militar e tropas perto das fronteiras russas. 

    Mais:

    Representante da Rússia na OTAN: Moscou deve investir mais na área militar
    Não é a própria Rússia que gera maior medo na OTAN, mas... as russas
    Tags:
    relações internacionais, segurança interna, OTAN, Rússia, Estônia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik