06:53 14 Agosto 2020
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    314
    Nos siga no

    Ontem (19), o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, passou mais de 8 horas sendo interrogado pela procuradoria de Varsóvia, comunicou o correspondente da Sputnik.

    Na quarta-feira (19), Tusk chegou à procuradoria de Varsóvia para participar do processo sobre alegada cooperação entre os serviços secretos poloneses e o Serviço Federal de Segurança russo (FSB). O correspondente da Sputnik comunicou que o político entrou na procuradoria por volta do meio-dia do horário local e saiu apenas às oito e meia da noite.

    Tusk afirmou aos jornalistas que não pode divulgar as informações sobre o andamento do processo. Ao mesmo tempo, ele elogiou a hospitalidade dos funcionários da procuradoria.

    "É tudo o que posso dizer sobre a investigação", afirmou o chefe do Conselho Europeu, adiantando que esta investigação tem um caráter "exclusivamente político".

    Tusk assegurou que se apresentou a interrogatório voluntariamente e que usará sua imunidade só quando a investigação "torne impossível o cumprimento dos deveres profissionais". "Espero que não chegue a isso", acrescentou.

    O alto responsável oficial europeu chegou à capital polonesa para ser interrogado em relação à cooperação entre ex-dirigentes da inteligência polonesa e o FSB russo sem autorização das autoridades do país, o que é um crime punível com até 3 anos de prisão.

    Mais:

    Polônia se diz pronta para cooperar com a Rússia
    Sistemas americanos Patriot na Polônia: o 'amor fraterno' não é gratuito
    Polônia vai assinar acordo para compra de sistemas Patriot até final do ano
    Tags:
    interrogatório, investigação, Serviço Federal de Segurança (FSB), Conselho Europeu, Donald Tusk, Polônia, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar