10:12 19 Agosto 2017
Ouvir Rádio
    Premiê britânica, Theresa May, fala em frente do número 10 de Downing Street, ou seja, sua residência oficial, em 18 de abril de 2017

    Premiê britânica Theresa May anuncia data das eleições parlamentares antecipadas

    © AFP 2017/ Daniel LEAL-OLIVAS
    Europa
    URL curta
    235940

    A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, anunciou nesta terça-feira (18) que planeja convocar eleições gerais antecipadas para o parlamento do país em 8 de junho do ano corrente.

    May comunicou esta informação quando falava em frente do número 10 de Downing Street, ou seja, sua residência oficial.

    Theresa May frisou que, desde que assumiu o posto de primeira-ministra, conseguiu garantir a estabilidade que o país tanto necessitava, comunica o RT.

    May afirma que o governo conseguiu seu mandato após o referendo sobre o Brexit, dizendo que não há "maneira de voltar atrás" e que o governo já tem um plano para as negociações a respeito da saída britânica da UE.

    A premiê assegura que deve haver unidade em Westminster em relação ao Brexit, mas não há. De acordo com a chefe de governo, os representantes do Partido Trabalhista têm ameaçado votar contra o acordo final, enquanto os Liberais Democratas visam levar os debates parlamentares a um impasse.

    Ela disse que ela não está disposta a permitir que seus oponentes impeçam as negociações sobre o Brexit.

    "Nós precisamos de uma eleição geral e nós precisamos dela agora… Foi recentemente e com relutância que cheguei a esta conclusão", exclamou.

    May informou que apresentará uma moção à Câmara dos Comuns amanhã (19) para propor a realização do escrutínio.

    "Será uma escolha entre uma liderança forte e estável no interesse nacional, comigo como vossa primeira-ministra, ou um governo fraco e instável encabeçado pela coalizão liderada por Jeremy Corbyn", ressaltou.

    Porém, a iniciativa de May pode ser restringida pelo Ato Parlamentar de Prazo Fixo, que estabelece a próxima data das eleições para o ano de 2020. De acordo com o documento, há duas maneiras de dissolver o parlamento antes dessa data.

    A primeira é conseguir dois terços dos votos no parlamento, ou seja, 434 votos neste caso particular, mais 104 do que os atuais membros do Partido Conservador, pelo que May precisa do apoio dos trabalhistas. A segunda é o governo apresentar uma moção de desconfiança ao parlamento, e nesse caso este é dissolvido.

    Tim Farron, do Partido Liberal Democrata, disse que esta eleição "é uma chance de mudar o governo do país".

    "Se querem evitar um Brexit duro e desastroso, se querem preservar o Reino Unido como um mercado único, se querem um Reino Unido aberto, tolerante e unido, esta é vossa chance", afirmou.

    Mais:

    Casa Branca: May e Merkel apoiam o ataque dos EUA à Síria
    Theresa May comete erro estratégico acerca de Gibraltar
    Na trilha de Trump: May suspende programa para acolher crianças refugiadas no Reino Unido
    Tags:
    eleições, Brexit, Partido Trabalhista, Partido Conservador, Theresa May, Reino Unido
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik