07:00 24 Setembro 2018
Ouvir Rádio
    Indústria de carvão.

    Poroshenko quer confiscar carvão de Donbass

    © AP Photo / Andy Wong
    Europa
    URL curta
    Bloqueio de Donbass (19)
    12012

    Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, pretende discutir com Conselho da Segurança e Defesa Nacional a possibilidade da confiscação do carvão de Donbass. Se trata dos recursos explorados nos territórios não controlados por Kiev, disse aos jornalistas Irina Lutsenko, representante de Poroshenko.

    Kiev ficou sem carvão

    Na semana passada, as autoridades ucranianas suspenderam o funcionamento de algumas usinas termelétricas.

    A assessoria de imprensa do Ministério da Energia explicou essa medida com a necessidade de poupar antracite devido ao fim do período de aquecimento.

    A partir de 15 de fevereiro, a Ucrânia está em estado de emergência na área da energia. Esta situação foi provocada pelo bloqueio ao fornecimento de carvão de Donbass. A situação ficou tão grave que Kiev foi obrigada a recorrer à ajuda de Washington, a carta com o pedido para começar os fornecimentos foi enviada ao Departamento de Estado dos EUA.

    "Ficamos sabendo que podemos receber dos EUA 2,5 milhões de toneladas de carvão", declarou o ministro da Energia ucraniano, Igor Nasalik.

    Posição de Donetsk

    Em 15 de março de 2017, a Ucrânia introduziu o bloqueio total ao transporte de Donbass até que as empresas nas repúblicas autoproclamadas regressem à jurisdição de Kiev. Logo depois, Aleksandr Zakharchenko, líder da república de Donetsk, declarou a ruptura completa das relações comerciais com a parte ucraniana.

    "Não vamos vender [a Kiev] nem carvão, nem metal, nem calcário", disse ele, lembrando que historicamente a produção dos territórios de Donbass sempre se destinou à Rússia.

    Aleksandr Kostenko, representante da fração Donetskaya Respublica (República de Donetsk) no parlamento de Donetsk, sublinhou que quem perde com este bloqueio é obviamente a própria Kiev, pois enquanto as repúblicas estão prosperando, o povo ucraniano está perdendo as chances de ter uma vida melhor.

    Será que o estrangeiro vai ajudar?

    Os analistas têm dúvidas em relação a este assunto, é especialmente duvidoso se a Ucrânia será capaz de sair da crise energética.

    "A Ucrânia pode considerar a possibilidade que ela quiser: Austrália, EUA, Canadá, África do Sul ou até a China, por que não? Mas neste caso o preço do carvão aumentará", declarou Leonid Khazanov, especialista em indústria, ao Serviço Russo da Rádio Sputnik.

    De acordo com ele, as compras no mercado estrangeiro apenas agravarão a situação na Ucrânia, pois ela não pode pagar com dólares ou euros, a obtenção de créditos também não pode ser considerada porque Kiev já está completamente endividada. Segundo Khazanov, no final, Kiev será obrigada a voltar a comprar carvão em Donbass ou na Rússia.

    Outro analista, Vadim Kolesnichenko, também considera que Kiev está agindo contra si própria ao bloquear o transporte com Donbass.

    "Graças às ações pouco corretas das autoridades ucranianas, a soberania das repúblicas está sendo adquirida cada vez mais depressa", frisa Kolesnichenko, advertindo sobre o possível crescimento da tensão social dentro do país.

    Tema:
    Bloqueio de Donbass (19)

    Mais:

    Zakharova responde com ironia às declarações polêmicas de Poroshenko
    Poroshenko revela o que une UE e Ucrânia
    Poroshenko reconhece que Ucrânia perdeu toda a influência sobre Donbass
    Tags:
    carvão, Pyotr Poroshenko, Aleksandr Zakharchenko, República Popular de Donetsk, Donbass, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik