05:58 16 Outubro 2018
Ouvir Rádio
    Uma criança imigrante em frente da Secretaria de Estado da Saúde e Assuntos Sociais (LAGeSo) em Berlim. 25 de agosto de 2015.

    Alemanha considera fechar a fronteira com a Suíça após aumento de refugiados

    © AFP 2018 / TOBIAS SCHWARZ
    Europa
    URL curta
    1445

    A Alemanha pode ser forçada a fechar a fronteira com a Suíça se continuarem os cruzamentos de imigrantes ilegais, disseram funcionários do Ministério do Interior ao jornal alemão Welt am Sonntag.

    Um ano após o encerramento da rota de migração dos Balcãs, o Ministério do Interior alemão descobriu que os imigrantes ilegais encontraram uma nova forma de chegar à Alemanha — através da Suíça, onde o número de travessias ilegais triplicou em relação ao ano passado.

    Esses migrantes chegam à Suíça da Itália. O governo italiano estima que 250 mil migrantes chegarão à costa italiana este ano, a maioria dos quais de países africanos como a Guiné, a Nigéria e a Costa do Marfim. Mais de 95% das chegadas partiram da costa da Líbia.

    Fontes do Ministério do Interior disseram ao jornal alemão Welt am Sonntag que, em janeiro e fevereiro, as autoridades detectaram 1.350 travessias ilegais da Suíça, um aumento acentuado em comparação com os 402 detectados nos dois primeiros meses de 2016.

    A fronteira italiana com a Suíça é menos segura do que as fronteiras alemãs com a Áustria e a França e, desde o verão passado, os migrantes intensificaram seus esforços para cruzá-la.

    O estado de Baden-Wuerttemberg, sudoeste da Alemanha, que faz fronteira com a Suíça, tem sido o mais afetado pelo aumento da migração.

    O ministro do Interior do estado, Thomas Strobl, disse a Welt am Sonntag que o governo pode ser forçado a fechar sua fronteira com a Suíça se o fluxo de migrantes continuar.

    "Ainda temos essa fronteira sob controle, mas se a situação piorar na fronteira entre a Itália e a Suíça e, consequentemente, na fronteira suíço-alemã, então vamos agir", disse Strobl. "Faremos o que for necessário se a situação surgir — já fortalecemos a polícia estadual", acrescentou.

    Após a chegada de 890.000 requerentes de asilo à Alemanha em 2015, o Ministério do Interior alemão registou a chegada de 280.000 refugiados em 2016. A queda do número de chegadas foi atribuída ao acordo de imigrantes da UE com a Turquia e ao encerramento da rota de migração dos Balcãs Em março de 2016.

    Tags:
    Refugiados, Welt am Sonntag, Ministério do Interior da Alemanha, Thomas Strobl, Balcãs, Itália, França, Alemanha, Áustria, Baden-Wuerttemberg, Costa do Marfim, Nigéria, Guiné, Suíça
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik