18:46 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Míssil hipersônico

    Mídia britânica está apreensiva com novo míssil hipersônico russo

    © Sputnik/ Ildus Gilyazutdinov
    Europa
    URL curta
    6710902772

    A mídia britânica manifestou receios em face do novo míssil de cruzeiro hipersônico russo Tsirkon, que, segundo ela, representa “ameaça para a Marinha britânica” e pode vir a "romper o equilíbrio de forças no mundo".

    Diversas publicações revelaram as caraterísticas do míssil russo, que  ainda não foi apresentado oficialmente,  citando "analistas não identificados". Por exemplo, o Daily Mail anunciou que o míssil é capaz de acelerar a uma velocidade de 7,4 mil km/h, o que supera em 6 vezes a velocidade do som. 

    Segundo o artigo, o míssil Tsirkon atualmente passa testes e vai ser posto ao serviço até 2022. O jornal sublinha que este míssil pode vir a ser "uma verdadeira catástrofe" para os porta-aviões britânicos. 

    "A atual defesa antimíssil da Marinha britânica pode abater mísseis cuja velocidade não supere 3,7 mil km/h, por consequência, é inútil contra o Tsikron", indicou o artigo. 

    A revista Mirror escreveu por sua parte que o novo míssil será capaz de atingir os navios mais recentes da frota britânica com "um só disparo". Os analistas acrescentam que o míssil Tsikron pode eliminar 2 porta-aviões mais recentes da Grã-Bretanha em só um ataque. 

    "Este míssil mortífero pode ser lançado da terra, do mar ou de submarinos. Ele supera uma distância de 250 km em dois minutos e meio, sendo mais rápido do que uma bala", indica o artigo. 

    Entretanto, o Daily Star News afirma que o míssil russo Tsikron tem capacidade de "alterar o equilíbrio de forças".

    Mais:

    Modernização militar: Rússia desenvolve novo míssil terra-ar de longo alcance
    Rússia desenvolve míssil de cruzeiro de superlongo alcance
    Tags:
    caraterísticas, mísseis supersônicos, capacidade militar, analista, opinião, teste, porta-aviões, mídia, Tsikron, Daily Mail, Mirror, Marinha, Grã-Bretanha, Rússia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik