08:47 20 Janeiro 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    737
    Nos siga no

    O parlamento ucraniano pediu ao Congresso norte-americano para considerar concessão a Kiev do status de aliado importante extra-OTAN e firmar acordo de defesa. O apelo foi apoiado na segunda tentativa por 232 parlamentares, enquanto o mínimo de apoiantes seria 226 votos.

    Segundo o documento, tal política internacional testemunhou a experiência bem-sucedida da parceria – aliado importante extra-OTAN. O status é concedido aos Estados que "são ameaçados por ações militares, como da Coreia do Sul, Afeganistão ou Israel" e outros países que vivem em paz, por exemplo, Austrália, Nova Zelândia e Japão. 

    Vale destacar que, ao contrário da adesão da Ucrânia à OTAN, a concessão de aliado importante extra-OTAN cabe aos EUA, ou seja, não requer o consenso de todos os membros da OTAN.

    O documento afirma que o status ajudará a acabar com "a agressão russa" para com a Ucrânia. A Rússia nomeou muitas vezes as acusações como "inadmissíveis", afirmando que não participa do conflito em Donbass e está interessada na resolução mais rápida da crise ucraniana.

    Anteriormente, o presidente da Ucrânia, Pyotr Poroshenko, anunciou a disposição de realizar um referendo sobre a adesão de seu país à OTAN, frisando que a ideia já tem o apoio de mais de metade dos ucranianos. Entretanto, a empresa de pesquisa de opinião norte-americana Gallup informa que 35% consideram a aliança como uma ameaça enquanto somente 29% buscam proteção da OTAN.

    Mais:

    'Sucata': OTAN envia velhas lanchas à Ucrânia
    Opinião: OTAN já não é maior prioridade para EUA
    A que pode levar atividade militar da OTAN perto das fronteiras russas?
    Tags:
    OTAN, Pyotr Poroshenko, EUA, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar