11:48 19 Abril 2019
Ouvir Rádio
    Manifestantes em Ancara demonstram apoio ao governo em frente a um telão com o retrato do presidente Recep Tayyip Erdogan, Turquia, 17 de julho de 2016

    Comissão Europeia: 'Nem todos os turcos são pequenos Erdogans'

    © REUTERS / Baz Ratner
    Europa
    URL curta
    340

    O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, disse ao jornal alemão Bild am Sonntag que tem a certeza de que a Turquia não vai abandonar o acordo migratório com a União Europeia.

    Na sequência do escândalo diplomático entre a Turquia e vários países europeus, Jean-Claude Juncker assinalou que o governo turco não representa todos turcos que vivem na Europa.

    Presidente turco Recep Tayyip Erdogan fala durante a reunião com investidores internacionais no Palácio presidencial em Ancara, Turquia, 2 de agosto de 2016
    © AFP 2019 / KAYHAN OZER / Serviço público do presidente turco
    Nas últimas semanas, a Turquia entrou em conflito com a Alemanha, a Holanda e Bruxelas por causa da intenção de Ancara de realizar comícios eleitorais nestes países e por causa do futuro pouco claro do acordo migratório entre a Turquia e a UE.

    Apesar de tudo, a UE acredita que a maioria da diáspora turca na Europa não é adepta do presidente turco Erdogan, disse Jean-Claude Juncker no domingo, relata o jornal alemão Finanz Nachrichten.

    "Nem todos os turcos são pequenos Erdogans", disse Juncker ao Bild am Sonntag. "Não temos absolutamente nenhuns problemas com os milhões de turcos que vivem nesta parte da Europa. Eles estão bem integrados e contribuem para a prosperidade".

    Em março de 2015 a Turquia e a UE fizeram um acordo migratório, em que a Turquia concordou em impedir que os refugiados atinjam as fronteiras da UE, instalando-os em campos de refugiados em território turco, em troca de 6 biliões de euros de assistência financeira e da isenção de vistos com a UE para os cidadãos da Turquia.

    Apesar da ameaça da Turquia de romper o acordo, Juncker expressou a confiança de que Ancara não o venha a fazer.

    Ele também criticou o fato de o presidente Erdogan ter comparado as autoridades alemãs e holandesas com nazistas, após estas não terem autorizado ações de campanha de políticos turcos na véspera do referendo na Turquia, que deverá alargar os poderes de Erdogan.

    Tayyip Erdogan e Angela Merkel
    © AP Photo / Axel Schmidt,file
    "É absolutamente inaceitável que o presidente de um país que está a caminho da Europa ofenda em massa as vítimas do fascismo", disse Juncker.

    O otimismo de Juncker sobre o futuro do acordo migratório não parece ser compartilhado pela Turquia. Na terça-feira, o ministro turco para Assuntos da União Europeia, Omer Celik, questionou o seu futuro, dizendo que a UE não cumpre a sua parte do acordo.

    Mais:

    Opinião: Turquia pode se tornar bode expiatório para toda Europa
    Turquia afirma que em breve 'começarão Guerras Santas na Europa'
    Chanceler da Turquia: UE está caindo aos pedaços e o futuro da Europa não é nada agradável
    Tags:
    acordo migratório, nazistas, Comissão Europeia, Omer Celik, Jean-Claude Juncker, Recep Tayyip Erdogan, Holanda, Bruxelas, Turquia, União Europeia, Alemanha
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik
    • Comentar