23:13 22 Julho 2018
Ouvir Rádio
    Membros da Força da Segurança do Kosovo

    Gambito dos Bálcãs: para que e quem apoia a criação do exército do Kosovo?

    © AFP 2018 / ARMEND NIMANI
    Europa
    URL curta
    445

    Em uma entrevista à Sputnik Sérvia, Milovan Drecun, presidente do Comitê para o Kosovo e Metohija do parlamento sérvio, comunicou que a OTAN está por trás do esforço do Kosovo para formar seu próprio exército.

    Anteriormente nesta semana, o presidente do Kosovo Hashim Thaci enviou ao parlamento um projeto de lei para transformação da Força de Segurança do Kosovo em um exército nacional.

    Em um outro desenvolvimento, o secretário-geral da OTAN Stoltenberg teve uma conversa telefônica com Thaci e com o primeiro-ministro do Kosovo Isa Mustafa, durante a qual ele expressou "preocupações sérias dos aliados da OTAN" com a militarização do Kosovo, comunicou o site Balkan Insight.

    "Eu tornei claro que passos unilaterais como estes são inúteis e exortei as autoridades do Kosovo a se manterem em contato estreito com os sérvios de Belgrado", acrescentou Stoltenberg.

    A OTAN tem aproximadamente 4,5 mil soldados no Kosovo, o qual proclamou unilateralmente sua independência em 2008 e é reconhecido por mais de 100 membros da ONU. A Sérvia, bem como Rússia, China, Israel, Irã, Espanha, Grécia e outros países, não reconhece a independência do Kosovo.

    Os membros sérvios do parlamento, por seu lado, comunicaram que vão bloquear as alterações à constituição do Kosovo que permitam ao país parcialmente reconhecido iniciar uma corrida aos armamentos.

    Há três anos, o Kosovo planejou criar um exército nacional, mas até esta data não conseguiu ultrapassar a oposição sérvia no parlamento do Kosovo. 

    Numa entrevista à Sputnik Sérvia, Milovan Drecun sublinhou a importância de cumprir a resolução relevante da ONU sobre o assunto.

    "A missão KFOR e a OTAN devem respeitar a Resolução 1244 do Conselho da Segurança que não estipula a criação de um exército do Kosovo. Entretanto, preparações relevantes já são realizadas durante vários anos, com treinamentos dos soldados do Kosovo por instrutores da OTAN. Na realidade, a OTAN criou esse exército, por isso é claro por que Thaci [deve] evitar iniciativas que contradigam a posição da OTAN e dos membros mais influentes da Aliança", comunicou Decrun.

    Ele acrescentou que a OTAN e os EUA tentam como que legitimar a criação de um exército pelo Kosovo, porque até para eles é inaceitável que os sérvios, que representam a segunda comunidade mais influente na província, sejam excluídos do processo.

    Dracun acrescentou também que os sérvios do Kosovo e Belgrado devem fazer mais esforços diplomáticos no âmbito da ONU, UE e OTAN para que Thaci não consiga realizar os seus planos.

    "É necessário apontar a todos que um exército nacional do Kosovo constituiria mais um fator de desestabilização numa situação já de si desestabilizada", frisou Drecun.

    Entretanto, durante uma conversa telefônica com o primeiro-ministro sérvio Aleksandr Vucic realizada na quarta (08), Thaci advertiu Belgrado contra intervenções nos assuntos internos do "estado soberano", mas afirmou que Vucic deve fazer com que os parlamentários sérvios apoiem a intenção de criar o exército do Kosovo.

    Entretanto, o líder dos albaneses do Kosovo comunicou à Radio Free Europe/Radio Liberty que o exército de Kosovo não representará uma ameaça para os Bálcãs.

    Mais:

    Trump pode pôr fim ao Kosovo
    Integração na UE não fará Sérvia reconhecer Kosovo nem virar as costas para a Rússia
    Tags:
    militarização, projeto, exército, aliados, parlamento, reconhecimento, lei, OTAN, Kosovo, Sérvia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik