06:18 14 Dezembro 2017
Ouvir Rádio
    Indústria de carvão.

    Donetsk declara bloqueio comercial contra Kiev

    © AP Photo/ Andy Wong
    Europa
    URL curta
    Bloqueio de Donbass (19)
    8163

    Aleksandr Zakharchenko, líder da república autoproclamada de Donetsk, declarou que os cidadãos de Donbass sobreviveram ao bloqueio por parte dos militares ucranianos e que agora a república declara o bloqueio a Kiev.

    "Rompemos todas as ligações com Ucrânia, um país com o qual estamos em guerra. Sim, vendemos carvão para receber dinheiro e pagar salários. Mas por termos aprendido a viver em bloqueio, nós declaramos um bloqueio à Ucrânia", disse Zakharchenko durante uma coletiva de imprensa.

    Anteriormente, ele havia declarado que para superar a crise, provocada pelo bloqueio de transportes, a partir de 1 de março na república começa funcionando o sistema de gestão externa das empresas de direito ucraniano.

    No fim do janeiro, antigos participantes do conflito em Donbass, inclusive deputados da Suprema Rada (parlamento ucraniano), bloquearam as ligações ferroviárias de mercadorias com o território de Donbass não controlado por Kiev. Eles declararam que todo tipo de comércio com as republicas autoproclamadas é ilegal.

    Devido ao bloqueio, a parte ucraniana não pode comprar carvão da variedade antracito que se extrai nos territórios de Donbass controlados pelas milícias e é o principal tipo de combustível na Ucrânia. As autoridades ucranianas foram obrigadas a introduzir medidas energéticas excepcionais para poupar recursos, algumas empresas suspenderam sua produção.

    Tema:
    Bloqueio de Donbass (19)

    Mais:

    Inteligência de Donetsk relata que Kiev quer reforçar bloqueio de Donbass
    Representantes de Donetsk e Kiev fazem avanços consideráveis na retirada de armas pesadas
    Autoridades de Donetsk: 100 radicais ucranianos ocupam instalações civis
    Tags:
    combustível, bloqueio, carvão, Aleksandr Zakharchenko, República Popular de Donetsk, Donbass, Ucrânia
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik