00:44 31 Julho 2021
Ouvir Rádio
    Europa
    URL curta
    0 23
    Nos siga no

    Em mais um dia de protestos, vidraças quebradas e fogueiras pelas ruas marcaram a noite no norte de Paris. Desde o início da semana, manifestantes demonstram revolta contra a atuação da polícia, que atacou e sodomizou um jovem negro chamado Théo com um cassetete em um subúrbio. Ativistas falaram à Sputnik sobre a destruição na cidade.

    Centenas de manifestantes se reuniram nesta quarta para denunciar a violência policial no caso.

    O protesto começou em Barbès, no 18º arrondissement de Paris e, ao longo da passeata, um grupo de pessoas iniciou destruição, causando violência.

    O metrô e o trânsito de veículos foi fechado pela polícia e as lojas fecharam as portas.

    ​A situação se agravou rapidamente. Pedras e pedaços de madeira foram lançados contra a polícia, que revidou usando gás lacrimogêneo e bombas de fumaça para dispersar os agressores.

    ​Outra demonstração de apoio a Théo ocorreu na Rue de Turenne. Mais uma vez, um grupo de manifestantes tumultuou o ato, transformando a ação de apoio em vandalismo generalizado.

    ​O grupo estranho aos manifestantes começou a quebrar as janelas. Vestidos de preto e mascarados, os intrusos tentaram assaltar um jornalista e arrancar os celulares da mídia. Os manifestantes disseram à Sputnik França que poderiam ser ativistas de extrema-direita.

    De acordo com o Ministro do Interior, cerca de 245 pessoas foram presas em França desde o início da violência urbana nos subúrbios após a prisão brutal do jovem Theo.
    Tags:
    Sputnik França, Aulnay-sous-Bois, Rue de Turenne, Barbès, 18º arrondissement de Paris, França, Paris
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar na SputnikComentar no Facebook
    • Comentar