15:08 23 Setembro 2017
Ouvir Rádio
    Jihadistas do grupo terrorista Daesh

    'Daesh mata com armas alemãs'

    © flickr.com/ Day Donaldson
    Europa
    URL curta
    121930102

    O porta-voz da Sociedade de Paz Alemã, Jürgen Grässlin, acusou a Alemanha de provocar assassinatos no norte do Iraque por meio de exportações de armas para a região e pela ausência de controles.

    De acordo com pesquisas recentes realizadas pelas redes locais NDR e WDR, as armas fornecidas pelos fundos das Forças Armadas Alemãs (Bundeswehr), destinadas às formações curdas de peshmerga (forças armadas do Curdistão iraquiano), são vendidas em mercados clandestinos e finalmente terminam em mãos dos terroristas de Daesh (grupo terrorista conhecido como Estado Islâmico, proibido na Rússia e em vários outros países).

    "O governo da Alemanha, em regra, não tem ideia de onde suas armas são realmente fornecidas. A minha pesquisa, com base em materiais de muitos países e viagens ao longo dos últimos 30 anos para regiões em crise e áreas de operações, revelaram que as armas viajam, eles não ficam no lugar para onde são exportadas", explicou o especialista em entrevista à Sputnik.

    No entanto, a Bundeswehr já forneceu 2.400 toneladas de armas e munições para o peshmerga curdo, bem como serviços de treinamento militar, que, segundo Grässlin, violam o embargo da ONU sobre exportação de armas em áreas de conflito militar ativo.

    O vice-presidente do Die Linke (partido de esquerda com representação no Parlamento Europeu), Tobias Pflüger, afirmou que, com estas ações, a Alemanha viola não só o veto da ONU, mas também várias leis domésticas e as diretivas da UE sobre o assunto.

    A Bundeswehr nega a sua responsabilidade e afirma que o governo da região autônoma iraquiana, o Curdistão iraquiano, assumiu o papel de "assegurar o controle do uso correto das armas fornecidas".

    "A ideia de controlar o chamado 'destino final de suprimentos' [militares] é inútil… Sabe-se que essas armas surgiram nos mercados do Iraque e da Síria… Uma vez provado que Daesh atira com armas alemãs — ou fornecidas por outros países, será um escândalo. É cumplicidade nos assassinatos, suprimentos que vão para a área de combate… vão acabar nas mãos de organizações terroristas", disse Grässlin, que anteriormente abordou a questão das vendas de armas em um estudo sobre os lucros de Berlim com o equipamento bélico.

    Mais:

    Bandeira do Daesh encontrada no quarto do atacante em trem na Alemanha
    Três homens presos na Alemanha queriam realizar missão de Daesh
    Tags:
    Sputnik, Daesh, Estado Islâmico, Sociedade de Paz Alemã, União Europeia, Parlamento Europeu, Die Linke, Bundeswehr, Jürgen Grässlin, Tobias Pflüger, Rússia, Berlim, Iraque, Síria, Curdistão, Curdistão iraquiano
    Padrões da comunidadeDiscussão
    Comentar no FacebookComentar na Sputnik